31 de janeiro de 2012

HOJE! Cinematerna com 50 ingressos gratuitos!


Olá mamães,

HOJE tem cinematerna, com a distribuição de 50 ingressos gratuitos, mas as mamães com bebês até 18 meses.

É o lançamento de uma nova opção do Cinematerna, no CasaPark. Super Bacana, né!



Serviço:
CineMaterna no Espaço Itaú CasaPark
Dia, 31/01, Terça-feira, às 14h
Filme: Medianeras
Preço: 50 ingressos gratuitos para  mães (com bebês de até 18 meses) distribuidos por ordem de chegada 30 minutos antes da sessão. R$ 24 (inteira) e R$ 12 (meia)
Sala: 8
Local: Shopping Casa Park ST SGCV, S/N - Lote 22 – Guará

30 de janeiro de 2012

Estante para os livros infantis


Todos sabemos o quanto é importante estimular o gosto pela leitura dos nossos pequenos desde cedo, né!
E uma boa forma de isso acontecer é deixando os livros ao alcance das mãos deles, para que possam ser manipulá-los sempre.
Aqui no blog já dedicamos alguns posts a dar dicas de livros e, em um desses posts, quando se tratou sobre leitura para bebês, a BMB Mariana inclusive ressaltou a importância de ter um lugar especial para os livros, diferente de ordem ficam os brinquedos.
Bem, aproveitei que mudamos de apartamento para providenciar um novo quarto para o Gustavo e ele ganhou uma estante de livros.
É uma estante um pouco diferente das mais convencionais, pois nela os livros ficam com a capa voltada para frente, o que chama bastante a atenção da criança.
Outro diferencial é que uma parte dos livros fica ao alcance das suas mãozinhas, mesmo tendo apenas 2 anos de idade.
Para garantir que tenha acesso a todos, sempre troco a posição deles, já que, por enquanto, ele alcança sozinho apenas as duas primeiras fileiras.
A inspiração veio de revistas de decoração de quartos infantis e um marceneiro da minha confiança executou.



Grande abraço e boa leitura para vocês e seus filhotes,
Amanda, mãe do Gustavo.

29 de janeiro de 2012

Bisfenol A: substância presente em embalagens plásticas aumenta incidência de câncer de ovário

Em setembro passado, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a comercialização de mamadeiras e produtos voltados para lactentes contendo bisfenol A (BPA), decisão que entrou em vigor a partir de 1º de janeiro de 2012. A endocrinologista Fernanda Ramalho, diretora da Endoclinic, explica os perigos: “O bisfenol A é um composto químico que se comporta no organismo como o hormônio estrogênio. A ingestão da substância pode provocar puberdade precoce e infertilidade, além de aumentar a incidência de câncer de ovário e endométrio”.

Composto também está presente no revestimento de latas de alimentos

União Europeia e países como China e Estados Unidos já tomaram medidas para restringir o uso do bisfenol A. De acordo com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, o BPA pode ser encontrado em embalagens e potes plásticas e também na resina epóxi que reveste latas de alimentos, com o objetivo de prevenir a ferrugem.

A endocrinologista Fernanda Ramalho explica que estudos em ratos comprovaram que “quanto mais cedo acontecer a exposição ao bisfenol A, maiores as chances de manifestação dos efeitos”. Apesar do parecer da Anvisa proibir apenas objetos plásticos que entram em contato com bebês, a médica recomenda que adultos também evitem exposição ao composto: “ O bisfenol A é perigoso em qualquer faixa etária. Em mulheres, a substância causa instabilidade na ovulação e aumenta a incidência de câncer de endométrio e ovário. Homens podem ter a produção de espermatozoides afetada, causando problemas de fertilidade. Gestantes também devem ter muito cuidado, já que o bisfenol A atravessa a placenta, afetando o sistema endócrino do bebê”.

Potes plásticos não devem ser aquecidos

Fernanda Ramalho explica que o bisfenol A é um composto instável, o que favorece a contaminação de alimentos acondicionados em embalagens compostas por policarbonato: “Potes plásticos aquecidos no microondas ou levados ao congelador liberam a substância nos alimentos”. Ela explica que já existem embalagens livres do composto, indicação que costuma constar no rótulo do produto.

Por Renata Demôro para o site GNT Saúde.


Bisfenol: Saiba como evitar a substância

1 - Mamadeiras: use mamadeiras e utensílios de vidro ou com a indicação "BPA Free", que significa livre de bisfenol.

2 - Conservação do plástico: descarte utensílios de plástico lascados ou arranhados, já que a liberação de bisfenol é maior nesses casos. Também evite lavá-los com detergentes fortes ou colocá-los na máquina de lavar louças.

3 - Enlatados: evite o consumo de alimentos e bebidas enlatadas, já que o bisfenol A é utilizado como resina epóxi no revestimento interno das latas.

4 - Aquecimento: jamais esquente bebidas e alimentos acondicionados em potes plásticos no microondas. O bisfenol A é liberado em maiores quantidades quando a embalagem é aquecido.

5 - Congelamento: evite levar ao freezer alimentos e bebidas acondicionadas no plástico. A liberação do composto também é mais intensa quando há resfriamento do plástico.

6 - Utensílios de cozinha: evite pratos, copos e outros utensílios de plástico. Opte pelo vidro, porcelana e aço inoxidável para o armazenamento de bebidas e alimentos.


7 - Numeração na embalagem: evite, principalmente, embalagens de plástico que contenham os símbolos de reciclagem com os números 3 e 7 em seu interior ou na parte posterior. Esta numeração indica que o produto contém BPA na sua composição.


Fonte: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

28 de janeiro de 2012

Sling: use com segurança

Aqui no Big Motherns Brasília muitas mamães são adeptas ao uso de slings e o quesito "segurança" é unânime para a tranquilidade do coração materno. E você, já pensou a respeito, usa, gosta, tem medo?

A Revista Crescer publicou matéria falando sobre o tema e desmistificando alguns medos relacionados ao uso do sling. Confira abaixo.


Se você já está pensando em provar um quando seu bebê nascer, confira nossas dicas abaixo:


- O produto é indicado a partir dos quatro meses, quando a criança tem mais firmeza e sustentação do pescoço e da cabeça e consegue ficar com o rosto para fora do sling. Antes disso, é perigoso porque as vias aéreas dela podem ser obstruídas pelo tecido ou até mesmo pela posição em que fica (com o queixo muito perto do peito). Você pode usá-lo até seu filho completar 1 ano e 6 meses.



- Na hora de ajustá-lo, preste atenção ao comprimento. O sling deve ficar acima da linha do quadril para garantir mobilidade e equilíbrio.



- Atenção à temperatura. Como o bebê tem um metabolismo mais rápido, fica envolvido no tecido e ainda próximo ao seu corpo, o sling pode fazer com que ele sinta muito calor. Se seu filho estiver transpirando demais, tire-o dali. Outra dica é escolher um tecido de algodão (como os da foto).




- Não use por muito tempo porque o peso da criança está distribuído em apenas um dos ombros, o que pode causar dores musculares – por isso, troque o produto de lado de vez em quando para não sobrecarregar apenas um dos ombros. Já a posição em que a criança fica força os quadris e as costas, provocando desconforto nela.



Fontes: Alessandra Françoia, coordenadora da ONG Criança Segura; Alexandre Fogaça Cristante, ortopedista e especialista em coluna do Hospital Sírio-Libanês (SP); Paulo Pachi, pediatra, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

Revista Crescer


Ficou interessada e mora em Brasília? A Boobambu Academia da Criança oferece palestras sobre o uso de slings com a Marina Tanner, do LasCholitas, criadora de pouch slings, entre outras. #ficaadica!

27 de janeiro de 2012

Nextrun: grupo de corrida


Lembram do nosso projeto “Desenbarangar 2012” promovido pela nossa amiga Lu? Bom, agora o projeto vai sair do papel com a parceria com fechamos com a Assessoria de Corrida Nextrun.

Corrida? Siiiiiiiiiiiim, acreditem, nós mamães vamos começar a correr (detalhe: alguns papais também estão entrando no grupo).

Mas por que corrida? Porque com a assessoria de Nextrun, é a atividade física com que nós, mamães, esposas e profissionais, podemos voltar a forma em qualquer lugar e em qualquer horário. A Nextrun vai mandar uma planilha individual semanal e cada uma de nós, que vai fazer os treinos quando puder e em qualquer lugar.

Além da planilha, a Nextrun oferece treinos coletivos no Parque da Cidade. Quatro vezes por semana tem o treino funcional que trabalha técnica, força, respiração e muito mais. Os treinos de corrida ocorrem em dois turnos, logo cedo de manhã, ou no final da tarde e ainda tem horário aos sábados.

A Nextrun oferece, ainda, estrutura em competições. Esperem só a equipe Big Motherns logo logo nas corridas da cidade!

Saúde, qualidade de vida, e, de quebra um corpo bonito, são os objetivos das mamães corredoras. Quer se juntar a nós? Entre em contato com a Nextrun e agende sua entrevista inicial! Valores a partir de 110 reais mensais.



26 de janeiro de 2012

Resultado - Sorteio Mimos de Mãe

Chegou a hora de divulgar o resultado do sorteio dos mimos da Mimos de Mãe.

As contempladas foram:

1 - Aline Alves de Faria e Queiroz (saia de tutu)


Resultado saia de tutu

2 - Vivian Lindsay Rodrigues (20 etiquetas)

3 - Thaís de Oliveira Capinam Santos (20 etiquetas)


Resultado etiquetas
Reiteramos a necessidade de atenção ao cumprimento das regras. Metade das inscrições não puderam ser validades por descumprir algum dos requisitos.

Um abraço e fiquem atentas que dia 1º será lançado um sorteio TDB!

Já pensou em ganhar alguns itens para a decoração da festa do seu filho? E lembrancinhas?

Aguardem....
Após transcorrido o prazo para contato, a ganhadora Thais não respondeu nosso e-mail, razão pela qual novo sorteio foi realizado, sendo vencedora a Sylvia. Parabéns!



Inscrições válidas para o sorteio:

Lista Saia de Tutu (meninas)
<><><><><><>
1- Ivana Lomazzi Fontenele Fialho
2 - Stela Lobato
3 - Luciana Andrade C. Silva
4 - Geisa Oliveira
5 - glaucia Pescara
6 - Vivian Lindsay Rodrigues
7 - Thaís de Oliveira Capinam Santos
8 - Aline Alves de Faria e Queiroz


Lista Etiquetas (ambos os sexos)
<><><><><><>
1 - Ivana Lomazzi Fontenele Fialho
2 - Stela Lobato
3 - Luciana Andrade C. Silva
4 - Geisa Oliveira
5 - glaucia Pescara
6 - Vivian Lindsay Rodrigues
7 - Thaís de Oliveira Capinam Santos
8 - FABRICIA PAOLA RIBEIRO SANTOS
9 - ERICA MARIA PAULINO PAIVA
10 - Aline Alves de Faria e Queiroz
11 - Sylvia Cotias Vasconcellos

Relato de um desfralde




Sempre achei que o desfralde deveria ser uma coisa simples, afinal a maioria da população larga as fraldas até 03 ou 04 anos sem muita dificuldade. Entretanto, depois que engravidei e conheci muitas mães e comecei a acompanhar as histórias, sempre percebi uma certa tensão, uma certa pressão nas mães quando a criança chega próxima de um ano e meio até uns 02 anos - a tensão do desfralde.

Muitas mães começam a deixar os filhos de calcinha ou cueca muito cedo, sem ao menos eles entenderem o que é isso. Muitas crianças levam bronca por fazer xixi no chão, outras ficam de castigo. Já vi de tudo, inclusive mães falando que a criança faz de propósito só para irritá-la. Já vi mães também que ficam nervosas, ansiosas, mas não agem, sem saber o que fazer. Outras pedem desesperadamente um conselho, achando que alguém poderá ensinar como proceder nessa etapa!

Sempre imaginei que as coisas naturais não precisam disso tudo e ficava pensando que quando chegasse a vez de Natália eu não iria brigar, não iria reclamar e nem falar nada. Eu queria esperar o tempo dela, que eu sabia que um dia ia chegar, afinal, chega para todos!

Resolvi então aguardar para ver se ela dava sinais de que queria ser desfraldada. Lógico que perto dos 2 aninhos depois de alguns comentários maldosos de que ela já era velha pra usar fraldas, que eu tinha que deixar ela de calcinha para ela aprender, etc. etc.... eu fiz umas tentativas de deixar ela de calcinha, que sempre acabaram com um belo xixi no chão!! Então larguei de mão e deixei ela a vontade.

Na escolinha dela, as tias só iniciam o desfralde quando a família dá um sinal. Eu sempre quis que Natália só começasse o desfralde lá depois que estivesse mais consciente para não ficar envergonhada nem intimidada caso fizesse algo no local errado (mesmo sabendo que as tias têm preparo para isso, eu só confio em mim mesma hahah). Então preferi não pedir auxílio. Na sala dela todos estavam desfraldados, menos ela e um coleguinha, mesmo assim eu não falei nada.  Sempre tive em mente que quem deve decidir o momento era Natália mesmo.

Enfim, um dia resolvi ler sobre os sinais do desfralde  e vi que Natália já se encaixava em todos. Então conversei com ela para fazer xixi no pinico, o que ela não gostou, resistiu. Eu a levei duas vezes pela manhã e ela fez, ficava feliz na hora , mas não queria mais ir nos outros dias. Então resolvi não forçar e esperar mais um pouco.

Na escolinha, as tias sempre levavam todas as crianças no vaso após o almoço, e ela sempre sentava. Quando fazia alguma coisa as tias me contavam, mas não era frequente. Então nisso eu nem lembrava mais de desfralde. Sempre levava ela comigo no vaso, conversava com ela, mostrava as calcinhas, dizia que os amiguinhos dela não usavam fraldinha, e que quando ela quisesse usar também era só falar pra mamãe. Mas ela iria usar fraldinha até quando ela quisesse.

Enfim, quando ela estava com 2 anos e 7 meses, fui comprar um biquine novo para ela, o qual ela mesma escolheu, fomos na avó dela para mostrar. Ela vestiu o biquine e pediu pra tirar a fralda, minha mãe achou lindo o biquine e ela não quis mais tirar. Passou o dia de biquine, até q ficou com vontade de ir no banheiro e pediu para ir no vaso! Isso mesmo ela pediu. Fomos e ela fez xixi, depois não deixou mais eu colocar a fralda. Passamos o feriado em casa e ela de calcinha. Não fez xixi na roupa.

Quando foi para escola foi direto de calcinha e as tias comentaram que ela fez direitinho. Em duas semanas ela as vezes fazia xixi ou cocô na calcinha apenas na escola, em casa ela nunca fez. Cheguei até a conversar lá, pois em casa eu levava ela frequentemente no vaso, já na escola eu não sabia e nem sempre ela pedia.

Com 2 anos e 9 meses perguntei a ela se queria dar as fraldas dela para o papai Noel e ganhar um presente no lugar, ela disse que sim. E na noite de Natal ela deixou todas as fraldas no sapatinho, e nunca mais usou fralda noturna (que ela ainda usava, mas sempre acordavam secas).

Desde então minha filha está completamente desfraldada. Já aconteceu de madrugada ela acordar para fazer xixi.



Fiquei muito feliz de acompanhar o desenvolvimento dela e de saber, que não fui eu quem a desfraldou, foi ela mesma, no tempo dela e na hora que ela quis!

Mariana, mãe da Natália

Imagens: google

25 de janeiro de 2012

Estimulação Precoce


Bebês prematuros e de baixo peso podem apresentar problemas no desenvolvimento motor, além de outros problemas. Por isso é muito importante observar e acompanhar, inclusive com a avaliação de um neuropediatra. Geralmente essas crianças precisam de estimulação na primeira fase da vida.

A estimulação precoce ajuda muito no desenvolvimento desses bebês, para que eles alcacem padrões normais de desenvolvimento.

A estimulação não quer dizer que a criança vá apresentar um desenvolvimento precoce, como andar antes da hora, por exemplo. A estimulação é para auxiliar a criança a ter um desenvolvimento dentro do padrão normal.

A criança que nasce prematura ainda não está preparada para a vida extra-uterina e não desenvolveu completamente todas as funções do sistema nervoso. Por isso, ela pode sofrer atrasos em seu desenvolvimento natural. Nesse caso deve-se utilizar a idade corrigida para acompanhar o desenvolvimento do bebê.

Idade corrigida é a idade pós-natal menos o número de semanas que faltou entre o nascimento e o referencial de 40 semanas.

Por exemplo, uma criança que nasceu de 32 semanas: 40 - 32 = 8 semanas (2 meses)

Quando essa criança tiver 6 meses, terá a idade corrigida de 4 meses de idade. É importante levar a idade corrigida em consideração para não exigir de uma criança além de seus limites naturais. Não se pode esperar que uma criança nascida de 7 meses faça o mesmo que uma nascida de 9 meses. Os pais podem se frustrar se fizerem essa comparação equivocada.

Se os pais observarem um atraso no desenvolvimento da criança é importante procurar ajuda, para que isso possa ser corrigido a tempo e não traga dificuldades no futuro da criança. Um bom desenvolvimento motor repercute na vida futura da criança nos aspectos sociais, intelectuais e culturais.

Existem fisioterapeutas especializados nesse trabalho de estimulação precoce. Inclusive o governo do Distrito Federal oferece esse serviço de graça:

Educação Especial: http://www.se.df.gov.br/?page_id=204

 
Fabiana, mãe do Eduardo e do Daniel

24 de janeiro de 2012

O uso da chupeta

Ficamos muito felizes quando nossos leitores e seguidores nos enviam textos de própria autoria para publicação aqui... O de hoje é by Nara Fernandes, leitora, seguidora e colaboradora do BMB, e fala sobre o uso de chupeta. Aprecie:
Imagem daqui.

Quando nosso bebê tão sonhado nasce sempre acabamos quebrando alguns conceitos que temos como paradigmas, tipo: não oferecerei chupeta jamais! E logo na primeira semana em casa descobrimos que precisamos fazer com que peguem a chupeta, inocentemente achamos que será um processo fácil o "deixar a chupeta". E insistimos, insistimos, até que eles aprendem a pegar a chupeta e não nos fazem de chupeta mais!
Minha filha inclusive chama a chupeta dela de "mama"... fico me perguntando se a primeira palavra que ela falou "mama", foi para mim ou para chupeta. (risos)
Enfim, garanti então que com um ano de vida, eu tiraria a chupeta, esse só foi mais um paradgma que tive que vencer!
Catharine faz acompanhamento com dentista normalmente, e me senti com a alma lavada ao perguntar, na frente do meu marido, até quanto tempo poderia deixa-la com chupeta e a odontóloga me respondeu que até dois anos não havia problemas. Bom, qual você deve achar que foi minha reação: sorri! me aliviei e ...é, cheguei a um ano e onze meses, prestes a fazer dois anos e a linda "mama" lá estava.
Meu marido todos os dias fazia questão de me lembrar que eu havia dito que com um ano de idade tiraria a chupeta e ela já ia fazer dois anos em algumas semanas e nada de tentar tirar.
Bom, ele não sabia mas eu buscava informação em todos os locais, livros, sites, amigas que passaram pela situação... "como tirar a chupeta de forma menos dramática?"
Alguns respondiam que eu poderia tirar do dia para a noite, não oferecer mais e aguentar o choro por três dias. Outras falavam para eu deixar na casa da minha mãe por um final de semana sem a chupeta, voltaria outra - essa me pareceu mais cruel, imaginar que minha filha estaria passando por uma dificuldade e não ter a sua mãe do lado, definitivamente não usaria essa opção. Outra opção era a de esconder, quando ela pedisse, junto com ela procurar, não encontrar e aguentar o choro - também não gostei muito, quero que ela confie em mim, e confiança é baseado em verdade.
O que fazer?
A coisa piorou ainda mais quando fui levá-la em uma consulta médica e uma enfermeira (ah como eu queria que aquela mulher sumisse naquele momento!) disse na frente do meu marido: "ela chupa chupeta, é o dentinho está ficando pra frente". Como ela pode ver? Catharine estava com a boca fechada, abriu um pouco para beber água. Minha filha não tinha ainda dois anos, ela podia usar chupeta sim para dormir, segundo a odontóloga, como assim???? Meu marido na hora: "viu?" e eu na hora: "aí meu Deus, vou ouvir por 1 mês, três horas e meia". A enfermeira certamente percebeu porque não abriu a boca para falar mais nada.
Naquela tarde decidi: eu iria conversar com Catharine (1 ano e 11 meses), ela não mais usaria chupeta. Cheguei em casa, sentei com ela, falei que precisávamos conversar. Expliquei para ela que ela havia crescido, que já desenhava, pintava, andava, corria, ia para escolinha, falava, enfim, estava desenvolvendo e que ela não precisava mais de chupeta, que chupeta era para criança pequena que não fazia nada daquilo que ela já fazia. No final perguntei se ela havia entendido. Ela balançou a cabeça. Nos preparamos para dormir. A levei para a cama dela e lá fizemos uma oração: "Papai do Céu, obrigada pelo dia de hoje. Nos ajuda Jesus a superar mais essa fase da Catharine. Sabemos que é difícil mas que o Senhor nos ajudará e assim venceremos juntos essa fase". Pronto! Ela deitou e para minha surpresa: dormiu! Sim, ela dormiu, não chorou, não pediu, não nada! Hey, ela só dormia de chupeta!

Já completamos um mês sem chupeta. Às vezes ela pede, mas a lembro da nossa conversa e pronto, ela pára e nada de chorar!

Agradeço a Deus todos os dias por ter conseguido tirar a chupeta antes dos dois anos sem traumas.

Ah, a odontóloga, iremos a ela próxima semana, quero saber se realmente prejudicou os dentinhos dela.
Enfim, uma relação baseada em confiança é a melhor coisa que existe.




E você, tem experiência com chupeta para compartilhar conosco? O espaço está aberto...

23 de janeiro de 2012

Sorteio - Brussels Chocolateria Gourmet


Novo sorteio no ar! E vejam que delícia... (literalmente falando).. a parceria é com a Brussels Chocolateria Gourmet, que estará mensalmente aqui no blog presenteando nossos leitores com seus maravilhosos produtos.

A Brussels é uma chocolateria gourmet, que tem por missão fornecer aos clientes doces de sabor único e de alta qualidade, transformando momentos de deleite em verdadeiras celebrações da vida!

O sorteado levará para casa 1 caixa com 9 brigadeiros gourmet (sabores surpresa).

Imagem ilustrativa da caixa com trufas.

As inscrições podem ser realizadas até o dia 6 de fevereiro e o resultado será divulgado aqui no blog no dia 9 de fevereiro.

O sorteio será realizado pelo sorteador.com.br.

Regras:
1 - Residir no Distrito Federal.
2 - Seguir publicamente este blog (para isso é preciso o usuário ter conta no Gmail, Yahoo ou Twitter e clicar em "Participar deste site", localizado na coluna da direta, e seguir os passos indicados. Não é preciso ter um blog).
3 - Curtir a fan page da Brussels (aqui).
5 - Preencher todos os itens do formulário abaixo.
6 - O sorteado que não retornar o nosso e-mail em até 2 dias úteis será desclassificado e novo sorteio será realizado.

22 de janeiro de 2012

Brinquedo incentiva criatividade e comunicação

Por Guia do Bebê

Crianças que tem contato com brinquedos e jogos educativos se desenvolvem melhor. A constatação é de um estudo de caso realizado no Instituto de Psicologia (IP) da USP pela professora e psicóloga Paula de Souza Birchal. “O incentivo à exploração lúdica é enriquecedor para diversos aspectos da formação como a criatividade e comunicação. Não fazê-lo é privar a criança de um crescimento realmente completo”, afirma a pesquisadora. Nas creches, na maioria das vezes as professoras se assumem como responsáveis pela saúde física das crianças, mas isso não é o suficiente. Paula acredita que possibilitar o senso lúdico durante a formação é essencial para que se alcance o desenvolvimento integral dos pequenos.

A pesquisa envolveu crianças de duas creches comunitárias de Belo Horizonte (MG) e mostrou os benefícios da exploração lúdica, tanto na relação entre bebês, quanto na relação entre funcionários e bebês. “Quando o bebê aperta, morde, senta, joga, enfim, explora o brinquedo, desencadeia nele o prazer de estar com aquele objeto. Essas novas sensações e experiências são fundamentais para seu desenvolvimento”, descreve Paula.

As creches comunitárias investigadas têm uma logística particular de funcionamento: a prefeitura é responsável pela folha de pagamento dos funcionários, já as outras despesas são geridas pela comunidade local. No caso de Belo Horizonte, esses lugares são bastante comuns em comunidades de mulheres ou vilas, geralmente em regiões da periferia.

Montagem do kit

Para sua pesquisa, Paula selecionou um conjunto de brinquedos para oferecer às crianças e promover a exploração lúdica. “Montamos um kit com quatro bolas de tamanhos e cores diversos, caixa de encaixe, chocalho, livro de banho [de plástico, para ser usado por bebês durante o banho] e potes de empilhar”. Os kits eram colocados no centro de uma sala do berçário, com os brinquedos misturados, de modo a permitir que a criança escolhesse aquilo lhe interessasse. “Havia um kit para cada criança, mas eles ficavam juntos, não havia uma distribuição individual. Uma criança poderia pegar mais de um brinquedo, por exemplo”.

O fato de eles estarem misturados permite que elas expressem suas preferências. A energia dessas experiências é canalizada internamente e manifestada ao mundo externo em forma de dor, prazer, sentimentos agradáveis e desagradáveis, como também os primeiros sentimentos de sucesso e fracasso. “Na exploração dos brinquedos, elas podem compartilhar objetos e se socializarem. Pode haver disputa, esse também é um sentimento saudável e necessário na construção dos sujeitos”, explica Paula.

O contato com os brinquedos

Com a ajuda de suas alunas colaboradoras, Paula desenvolveu um método de análise que se baseava na filmagem do contato das crianças com os brinquedos. O plano piloto era inserir o kit no ambiente de berçário e estudar as reações das crianças diante daqueles novos objetos e verificar se a ludicidade era significativa nas condutas afetivas delas. A captura de imagens ia desde o momento em que a criança se via diante do brinquedo, passando pelos primeiros contatos, até o momento em que ela o abandonava e seguia para outra atividade.

O espaço físico deve permitir a exploração de novas atividades e novos desafios

Foram feitas dez observações, cinco em cada uma das creches comunitárias escolhidas. “Foi difícil encontrar creches que aceitassem bebês de 0 a 2 anos. Hoje, seria mais fácil porque há maior cobrança em relação ao cumprimento das leis que envolvem esta questão, mas na época em que fizemos a coleta dos dados, entre 2007 e 2008, não era comum estabelecimentos que aceitassem crianças tão novas”, conta.

O material filmado permitiu a reflexão sobre uma série de pontos. As cenas que se repetiram foram agrupadas e depois analisadas. A partir disso, Paula criou um mapeamento das condutas afetivas das crianças.

Ficou clara a necessidade de um esforço para que as crianças consigam se desenvolver mais e melhor. Os brinquedos são uma grande oportunidade para isso porque favorecem a expressividade. “Depois de entrar em contato com as imagens, vi o quanto privamos as crianças desse significativo desenvolvimento. A exploração lúdica abre um novo universo para todas elas.”

A carência de pessoal também se mostrou evidente. “As professoras cuidam das crianças fisicamente, mas é preciso um maior preparo no sentido de trabalhar seu senso lúdico”. O espaço físico deve ser repensado de modo a permitir que as crianças explorem novas atividades e estabeleçam novos desafios.

A tese de doutorado Exploração lúdica e afetividade em crianças de creche foi defendida em 2011 e orientada pelo professor Lino de Macedo, do Departamento de Psicologia da Aprendizagem, do Desenvolvimento e da Personalidade do Instituto de Psicologia da USP.

Professora Paula de Souza Birchal - email: pbirchal@pucminas.br

Fonte: Agência USP

21 de janeiro de 2012

Religiosidade e Crianças


Quando se fala em religiosidade é muito comum vir à mente a imagem de pessoas extremamente radicais, ortodoxas, com fé cega que em alguns momentos beira o irracional.
Entretanto, a etimologia da palavra religião (religação com o divino) remete a um significado muito mais sublime e denso do que a simplicidade de rituais ou o “fazer alguma coisa porque minha mãe ensinou, mas eu nem sei bem porquê”. Religião é mais do que orar por alguém doente, ajudar os mais carentes ou agradecer pelo alimento. Exercitar a fé é vital e fortalece a imunidade.

Somos corpo. Alma. Espírito.
Malhamos, comemos, dormimos e atendemos às necessidades físicas por questão de sobrevivência.
Estudamos, ampliamos os horizontes culturais, queremos nos divertir, viajar, crescer, ter amigos com bons papos por questão de saúde mental.
Mas e o espírito? Como temos tratado o tema, nós e os pequenos? O seu culto é racional e você sabe a razão da sua fé? (Não vale dizer que acredita só porque "sua mãe que disse", rsrsrs.)

É comum negligenciar-se a espiritualidade. Porque não dá tempo. Porque a vida é corrida, porque tem crianças pra levar escola, roupas para lavar, bagunças pra arrumar, comida pra fazer, roupa pra passar (ou mandar alguém fazer isso tudo!), compras no supermercado, comida no fogo, pratos na mesa, marido, salão, médico, trabalho, Projeto Desbarangar 2012, gato, cachorro, papagaio, amigos... Ufaaaaaaaaaaaa!

Mas, assim como o corpo sente fome e sede e assim como nossa alma precisa de conhecimento, o nosso espírito precisa de atenção e cuidado. As crianças seguem nosso exemplo e se você quiser um filho bem resolvido no quesito religião precisará dar este suporte, apoio e orientação. Tudo bem que nada é garantia de que ele será um beatinho se você for uma mega-beata, mas isto certamente dará um bom apoio na formação dos valores, nas escolhas, no caráter dos nossos futuros homens e mulheres. No modo como lidarão com as adversidades e sucessos. Eles são as pessoas para quem deixaremos este mundo.
Um verso bíblico me baliza no cuidado que procuro ter com minha pequena.
Ele está em Provérbios 22:6:

"Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele“.  

Hoje é o Dia da Religião.
Como você trata com o seu filho sobre este assunto?

Maiara, mãe da Nicole.

20 de janeiro de 2012

E o assunto é: NAMORO

Isso mesmo! Você não se enganou e entrou em um blog teen cheio de glitter e açúcar! Este é o Big Motherns Brasília, o seu blog de maternidade favorito ;)

E o tema também não está equivocado. Vamos falar um pouco sobre namoro. E para isso, que tal uma historinha?


Era uma vez, em um reino não muito distante, uma bela Princesa. A princesa sonhava em encontrar seu Príncipe Encantado e viver uma linda história de amor, cheia de corações vermelhos, suspiros e momentos especiais.

Em um dia ensolarado, a Princesa finalmente encontrou a sua outra metade e juntos viveram momentos maravilhosos! Tudo ia bem até que veio a notícia... eles não seriam mais dois pombinhos apaixonados, mas sim três. Uma comunidade, um coletivo.

Passada a euforia inicial e os longos nove meses de espera, eis que nasceu o fruto do amor dos dois enamorados.

E eles viveram felizes para sempre...

Opa! Como assim? Felizes para sempre??? Quem? O casal, a família, a mãe e o bebê???

Bem, esta parte da história irá depender, exclusivamente, de você(S). E é sobre isso que vamos tricotar agora.

Que filho é a melhor coisa da vida a gente já sabe. Que eles sugam nossa energia e nos levam ao extremo do cansaço também. Que nosso corpo se modifica para gerá-los, alimentá-los e criá-los não é segredo, o espelho grita aos quatro cantos!

Então como fazer para a magia, aquela que um dia fez com que você tivesse certeza absoluta de que o seu Príncipe Encantado estava diante de seus olhos, não morrer?

Receita pronta sei um monte, mas só de bolo. O que posso (e vou) fazer aqui é lançar alguns pensamentos e, quem sabe, dar aquele empurrãozinho abençoado para que seu matrimônio não se transforme em pandemônio! Vamos lá?


1) A primeira coisa que precisamos compreender é que, mesmo que o bebê não estivesse entre nós, o tempo, a rotina, o cansaço, a convivência em si já seriam motivos suficientes para que a paixão inicial se arrefecesse. Por isso, nada de culpar a criança pelo esfriamento da relação. Isso ia acontecer, cedo ou tarde. No máximo, foi antecipado.

2) O matrimônio não é um “novo produto”, mas um upgrade do namoro. Por isso, minha gente, precisamos tratar o relacionamento como tratamos jogos de videogame! A próxima fase só é válida se a anterior for bem cuidada e mantida! Não vai dar certo “porque casou deixar de namorar”.

3) Intimidade é uma coisa complicada, mas uma vez li um texto que mudou muito minha perspectiva. Era uma mulher escrevendo na Revista Crescer. Mãe solteira, ela lembrava que, apesar de sua escolha lhe fazer feliz, não podia negar que achava um “pé no saco” ouvir reclamações das amigas casadas. Ele é um peso morto e pouco ajuda? Pois bem, ela não tinha NENHUMA ajuda. Ele quer sexo e você nem depilou a perna? Pois bem, ela, quando quer sexo precisa passar por um ritual absurdo de beleza e, digamos, conquista. Ele deixa uma grande bagunça no banheiro? Pois bem, o banheiro dela é organizado e vazio...

4) O desânimo bateu à porta e vocês abriram? Minha gente, cuidado! Casamento é como plantinha de jardim (ai que piegas!), tem que cuidar! Homens mandem flores, liguem no meio do dia dizendo que sentem saudades e, principalmente, sintam saudades! Mulheres façam um esforço para vencer a barreira hormonal, separem um dia da semana (pelo menos) para, depois do soninho da criançada, sentar, conversar, abrir um vinho e (claro!!!) beijar!

5) Aliás, beijar é essencial! Dizem que um relacionamento pode ser medido pela quantidade de beijos que o casal troca. Qual foi o último beijo de língua que vocês trocaram? Não estou falando para agir com o fogo dos 17 anos, mas para cuidar com carinho da relação, afinal, vocês não chegaram aos 90 (e se chegaram e ainda beijam, parabéns!).

6) Sexo é importante sim, não vamos negar. E também é preciso reconhecer que muita coisa passa pela cabeça da mulher (e do homem). Os seios, por exemplo, depois do bebê passam a ser santuários de alimentação e tem gente que fica encucada (sem contar que, muitas vezes, eles resolvem verter leite na hora errada). O corpo, já falei antes, vira um fator de inibição. O cansaço nem se fala! Mas é preciso esforço, coragem e recomeço. E se há amor, recomeçar será uma maneira de reacender a chama!

7) Mas, mais do que sexo, o importante é o namoro, a parceria. Uma conversa cujo o assunto não sejam as crianças ou a casa (falem mal da Política, por exemplo); um jantar à luz de velas (ou à luz da babá eletrônica que seja); dançar aquela música; assistir um filme...NAMORAR!

8) Não se esconda atrás dos seus filhos! Conheço gente que faz isso e é triste ver a relação pedindo socorro enquanto a mãe (ou o pai) prefere dormir com o filho a dividir a cama com o companheiro(a). Mais triste ainda é usar a criança, que depois terá anos e anos de terapia pela frente, como justificativa para o esfriar da relação.


Filhos são o coroamento do amor! Não permitamos que eles sejam bodes expiatórios de relações fracassadas!

Namorar, beijar, pegar na mão é preciso! O recomeço da vida amorosa pós-bebê não é moleza, mas faz parte do processo!

Lembre-se que diante dos seus olhos está o Príncipe um dia tão esperado e mãos à obra!

E você, como fez para recomeçar o namoro? Conte para nós!

Abraços, Lucyanna (esposa do Luiz Eduardo e mãe do João Paulo e do
Gabriel)

19 de janeiro de 2012

Como não estourar o cartão de crédito no mês de janeiro

Lojas de todos os tamanhos e segmentos enfeitam suas vitrines e seus produtos com chamativos anúncios de remarcação de preço, é tempo de liquidação!!!

Etiquetas vermelhas; grandes tesouras cortando os preços ao meio; cartazes alardeando Saldão; OFF; SALE; ou simplesmente uma faixa modesta comos dizeres “baixamos os preços” exercem um enexplicável poder atrativo sobre nós, seres humanos.
   
A tentação é grande, e maior ainda é a vontade de sair correndo e entrar em toda loja que tenha indícios deste miraculoso fenômeno e encher muitas sacolas de coisas novas pra mim, pra casa, pro filho, marido, irmã, …...


Há apenas um pequeno probleminha: é preciso manter o mínimo de racionalidade neste momento (já que não é difícil perder a sanidade mental por alguns minutos - ou horas, e esquecer que a fatura do cartão precisa caber no bolso no final do mês. 

Mesmo não tendo nehuma das expertises profissionais de especialistas em moda e/ou finanças (não necessariamente nesta ordem), gostaria de compartilhar algumas dicas pessoais sobre o assunto. A primeira delas é:

Só vá às compras se puder! Guardou um dinheirinho pra isso ou já sabe que terá um “extra” nos próximos meses pra pagar a fatura do cartão? Se sim, vá em frente! Caso contrário, resista com todas as suas forças, pois posso garantir que a culpa e as consequências do “rombo” no orçamento não pagam o preço do prazer que sentimos ao comprar um produto pela metade do preço.
Vencida esta etapa, vamos ao “garimpo”. Isso mesmo garimpo! Em meio a tantas ofertas o melhor que temos a fazer é garimpar (minha modesta experiência de 6 anos como vendedora roupas, sapatos, presentes e decoração me permitiram algumas constatações de bastidores).


Muitas lojas são “honetas” e realmente oferecem generosos e vantajosos descontos, outras porém, aproveitam para “desentocar” (literalmente tirando do fundo do enpoeiradao estoque) coisas sem muita utilidade ou de gosto duvidoso. Ah, ainda tem aquelas que adotam o falso desconto aumentando o preço real do produto para propagar um  imperdível descontão. Então, olho vivo!

Por fim, minha última dica é fazer uma boa reflexão sobre o que realmente precisa comprar ( vale dar uma olhada no guarda-roupa antes de sair às compras). Se perceber que não “precisa de nada, mas mesmo assim “deseja”,  tudo bem, a época é pra isso mesmo, não é? Apenas tenha um pouco de cautela para não correr o risco de chegar em casa  abrir as sacolas e perceber que comprou aquela blusa de lantejoulas verde-limão só porque viu um monte de gente levando uma igual, ou ainda se questionat em que ocasião poderá usar aquela bota de bico fino e salto agulha que atrapalha até a sua respiração.

Então, não esquecendo qual seu estilo, vá às comprar. Se exagerar, paciência! Use como  lição para o próximo janeiro. E se for pra cometer excessos que seja com “aquele”   pretinho básico  ou um “aquela” calça jeans, afinal são apostas certas de muito uso pela frente.

E você, qual sua dica preciosa para os dias tentadores de liquidações?  

Andréa, mãe de Gabriel de 2 anos e 4 meses

Imagens: Google.

18 de janeiro de 2012

Dormir na casa do amiguinho – quando deixar?

Imagem daqui.

Eu, como mãe neurótica que sou, sempre respondi a esta pergunta com um sonoro... NUNCA. Mas sabemos que a vida real é bem diferente e essa hora acaba chegando e para meu desespero a hora do meu filho mais velho, Cáulon (6 anos), chegou.

Não estou falando de a criança dormir na casa da vovó ou da tia, estou falando da casa de pessoas que você mal conhece.

Certo dia ele chega em casa todo alegre com um convite de aniversário de um amiguinho da escola e já pedindo pra ir à festa. Até aí tudo normal. A minha surpresa foi o tipo de festa, eles iriam acampar no quintal e tomar um belo café da manhã. COMO ASSIM??!! Meu filho só tem seis anos, ele ainda não pode dormir na casa de estranhos... Claro que não deixei.

Depois desse episódio passei a pensar no assunto e a pesquisar e cheguei à conclusão de que isso é super importante para eles ganharem confiança e desenvolverem sua independência e claro, para nós mães praticarmos o desapego.

Eu ainda não sei qual a idade certa pra isso, mas acredito que o primeiro passo é seu filho pedir, depois ele pode passar uma tarde fora e só depois à noite na casa de um amigo. Talvez o mais importante para avaliar se é o momento certo é que seu filho tenha habilidades como ir ao banheiro sozinho e saiba se comunicar.

Se a criança tem problemas a noite como medo de escuro, ou precisa da companhia de um adulto, aí a coisa fica mais complicada. O Cáulon, até outro dia, pedia pra dormir na casa da vovó e quando chegava a hora de ir pra cama, caía no choro e só dormia se fosse na cama com ela. Em casa quando vai dormir pede para eu ou o pai ficar um pouco com ele no quarto.

Além de tudo isso, temos que pensar na nossa tranqüilidade. Sempre tem uma preocupação: como é a casa do amiguinho? É segura? Acho importante conhecer a família, conversar com a mãe na saída da escola, ter alguma convivência. Isso é bom para os pais e para os pequenos, pois a falta de convívio pode tornar aquela empolgação inicial uma experiência desagradável.

Eu confesso que ainda estou na fase do “pensando”, mas sei que será inevitável.

E vocês, como têm agido nesses casos? Compartilhem suas experiências conosco.
Lidiane, mãe do Cáulon, da Maeve e da Kirsi


17 de janeiro de 2012

Férias no Shopping? (PARTE 2)

Já postamos algumas dicas aqui no blog do que está rolando nos shoppings do DF para animar as férias da criançada! Depois da publicação do post recebemos novas informações, que trazemos agora para vocês, junto com as anteriores, para compilar tudo.

Boas férias e muita diversão para todos!!!!

Águas Claras Shopping


De 11 de Janeiro a 5 de Fevereiro, das 13h as 19h,  as crianças e os adolescentes  terão mi motivos  para  se divertirem nessas férias.  Com música, games e jogos, a campanha Movimente Suas Férias promete agitar às tardes da meninada.

Um circuito interativo de 40m2 está montado na praça de eventos do Águas Claras Shopping que preparou uma programação bem movimentada. Durante o período de férias acontecerá a 2ª edição do Desafio Kinect, além do Espaço Wii, cinema, fliperama, brinquedos infláveis e oficinas de arte e música.

Segundo a gerente de marketing Silvana Di Maio é a primeira vez que o shopping promove um evento com esse tipo de estrutura. “Estamos sempre inovando, para oferecer diversão e entretenimento para nossos clientes. O foco dessa campanha é não deixar ninguém parado e enquanto os pais estão fazendo suas compras, os filhos se divertem no circuito, que é gratuito”, afirma.

E para movimentar ainda mais as férias, aos sábados e/ou domingos, sempre às 15h, terá uma programação diferenciada. Neste sábado, 14, o espetáculo fica por conta dos palhaços e malabaristas Bené e Lelé interpretados pelos artistas Bernardo e Gisele, No dia 21, será a vez dos contadores do grupo Matrakaberta contando a história da loja do mestre André.

No domingo, 22, a atração do Tarde da Criança será a famosa Galinha Pintadinha, interpretada pelo grupo Ciranda, que cantará seus sucessos não deixando nenhuma criança parada. E para encerrar o mês de janeiro, no dia 28, o grupo Matrakaberta volta para apresentar o espetáculo “O casamento da Dona Baratinha” e no domingo, 29, para homenagear todos os mágicos do Brasil, o Tio André fará uma edição especial com as melhores mágicas do seu espetáculo.

Serviço
Movimente Suas Férias
De 11 de janeiro a 5 de fevereiro
Das 13h às 19h (De segunda a domingo)
Praça de Eventos – Águas Claras Shopping

Circuito Interativo Gratuito com Desafio Kinect, Espaço Wii, Cinema, Oficinas de Música e Arte
Espaço Fliperama – R$ 1,00 (a ficha)
Brinquedos – R$ 3,00 (o ingresso).

Boulevard Shopping

Entre os dias 13 e 27 de janeiro, o Boulevard Shopping levará para suas instalações um evento com oficinas e brincadeiras baseadas no filme Alvin e os Esquilos 3. O filme da Fox, que estreou nesta sexta-feira nos cinemas de todo o país, é a promessa da produtora para as férias.

Localizada em frente a C&A do primeiro piso, a estrutura irá contar com várias atrações infantis. Durante a permanência no espaço, as crianças serão monitoradas por duas supervisoras.

O horário de funcionamento da atração será das 10h às 22h e os pais deverão acompanhar seus filhos durante a estadia deles no espaço. Para saber mais, basta acessar o site www.boulevardshoppingbrasilia.com.br.

Para os interessados em conferir o filme após as oficinas, o longa está em cartaz no Kinoplex do Boulevard Shopping (sala 2) nos seguintes horários: 13h30, 15h30, 17h30, 19h30 e 21h30.

Sobre o filme

Na terceira aventura dos esquilos no cinema, Alvin, seus irmãos, e as Esquiletes estarão de férias, transformando um luxuoso navio de cruzeiro em seu playground pessoal até que acabam perdidos e sozinhos em uma ilha remota. Enquanto tentam diversos planos fantásticos para encontrar o caminho de volta para casa, eles acidentalmente descobrem que seu território não está tão deserto quanto parece. 

O que: Alvin e os Esquilos no Boulevard Shopping
Quando: 13 a 27 de janeiro, sempre das 10h às 22h
Quanto: Gratuito
Quem promove: Boulevard Shopping
Classificação indicativa: Livre
 
Brasília Shopping
Simulador 6D. Unindo tecnologia e aventura de uma maneira inovadora e atrativa, o cinema 6D oferece sessões de 5 minutos em que os espectadores vivem uma interação completamente diferente com o filme: através de movimento dos assentos, sistema de áudio 7.2, efeitos de água, vento e de aroma. O envolvimento com as cenas é ainda maior do que nos cinemas tradicionais.

Data: de 10 de janeiro a 10 de fevereiro de 2012
Horário: 10h às 22h
Duração: 4 a 5 min cada filme.
Local: Praça Central de Eventos
Capacidade: 8 pessoas por sessão.
Preço dos Ingressos: R$ 10 inteira, R$ 5 meia
Faixa etária: a partir de 3 anos
Peça teatral As Aventuras de Shrek. A descoberta da amizade e do verdadeiro amor são algumas das aventuras enfrentadas por Shrek e seus amigos nesta adaptação da Cia. de Teatro Carlos Moreira.

Data: Sábados e domingos de 07 a 29 de janeiro
Horários: às 15h e às 17h
Duração: 50 min
Local: Teatro Brasília Shopping
Preço dos ingressos: R$30 INTEIRA - R$ 15 MEIA E R$12 CLIENTE MAIS BRASÍLIA KIDS
Classificação livre


Iguatemi Shopping
Espaço Lego®. A segunda edição do Espaço LEGO vem para animar ainda mais o período de férias letivas da garotada. A atração conta com um cenário colorido repleto de bonecos, tapetes em formatos de quebra-cabeça e muitas peças do brinquedo para que a criançada abuse da criatividade.

Data: de 5 a 16 de janeiro.
Horário: 14h às 20h
Local: Praça Central, piso térreo do Iguatemi Brasília
Faixa etária: 2 a 12 anos
Gratuito.
Peça teatral Elizabeth Tudo Pode. Para dar continuidade ao sucesso da temporada de 2011 do Domingo é Dia de Teatro, o Iguatemi Brasília e a Livraria Cultura trazem a peça Elizabeth Tudo Pode, que conta a história de Alexandria, uma bibliotecária que vive em sua casa de livros. O espetáculo faz parte do projeto Alexandria Conta e Cria da Cia Yinspiração Poéticas Contemporâneas que mistura textos históricos, mitos e contos infantis e transforma História em historinha.

Data: 8, 15, 22 e 29 de janeiro
Horário: 15h
Local: Teatro Eva Herz
Capacidade: 198 lugares
Classificação: a partir de 4 anos
Entrada gratuita (os ingressos devem ser retirados no concierge do shopping, a partir das 12h de domingo)


Parkshopping
Exposição Gigantes da Era do Gelo. São 11 réplicas de animais que viveram na era glacial. A maior delas com quatro metros de altura. São elas o mamute, o rinoceronte-lanudo, o rinoceronte-de-chifre-grande, o alce-gigante, o auroque, o urso-das-cavernas, o tigre-dentes-de-sabre, o castor-gigante, o mapinguariçu, o gliptodonte e o moa.

Data: de 10 de janeiro a 5 de fevereiro
Horário: De segunda a sábado, das 10h às 22h e domingo, das 12h às 20h.
Local: 1º Piso
Classificação livre
Gratuito


Pier 21
Piscina de bolinhas e cama elástica. Os pequenos vão poder se divertir de forma segura, com acompanhamento dos monitores.
Data: de 06 a 29 de janeiro
Horários: Segunda a quinta-feira, de 13h às 21h; Sexta-feira a domingo de 14h às 22h.

Peças teatrais
- 14 e 21 de janeiro - O maravilhoso livro de desenhos da menina que não sabia desenhar, da Cia Teatral Três Amiguinhos
- 14 e 22 de janeiro – Jardim de Poesia, da Cia Teatral Três Amiguinhos
- 28 de janeiro - Onça e o Bode, da Cia. Néia e Nando
- 29 de janeiro - A Borboleta Corajosa, da Cia. Néia e Nando

Todas as peças serão apresentadas na Praça da alimentação, sempre às 16h. Abertas ao público.

Oficina de papel reciclado.
Data: 28 de janeiro
Horário: de 17:30 às 19:30
Local: Espaço cultural
Inscrições no site http://pier21.com.br/destaques/ferias-2011.html#ancora


Taguatinga Shopping
Castelo do Garfield e sua turma. A criançada terá diversão garantida e mimos da Turma do Garfield! Ao comprar o ingresso para o parque, você ganha um copo colecionável da Turma do Garfield. Entre as atividades oferecidas no circuito estão:

- Oficina de Mini Lasanhas - os pequenos poderão aprender no ambiente da cozinha a como montar uma mini lasanha, com direito a massa de modelagem atóxica de diversas cores. Dá ainda para levar para casa, hein!?

- Oficina de Mini-Coroas - as crianças irão aprender a confeccionar pequenas coroas de “SUA MAJESTADE”. Bem ao estilo Garfield, né? E ah, claro que cada um levará a sua coroinha como lembrança da oficina!

- Cineminha - com muitas e muitas almofadas espalhadas pelo chão. Por lá, o DVD do Garfield ficará rolando sem parar!

- Quebra-Cabeça Cúbico - competição de habilidade e rapidez. As crianças terão de movimentar os cubos gigantes para montá-lo à perfeição.

- Argola do Garfield - os visitantes devem mostrar que possuem uma excelente pontaria!

Data: de 12 de janeiro a 11 de fevereiro
Horário: 12h às 22h
Duração: 20 minutos/atividade
Local: Praça Central, 1º piso
Capacidade: 30 crianças por vez
Preço: R$10,00
Faixa etária: de 3 a 12 anos


Terraço Shopping



Eurobungy. Uma espécie de estilingue gigante, que arremessa o aventureiro a uma altura de até sete metros do chão, totalmente amarrado por cabos de segurança, mas deixando pernas e mãos soltas, para que todos se divirtam livremente, saltando ou dando cambalhotas.

Data: de 6 de janeiro a 18 de fevereiro
Horários: Segunda a sexta – 14h às 22h; sábados – 10h às 22h;
domingo – 12h às 20h
Duração: 3 minutos por vez
Local: Praça das palmeiras
Preço: R$10
Faixa etária: a partir de 2 anos
Peso Máximo: 80 kg

Assim que soubermos de mais atrações, iremos divulgando aqui no BMB, então nos acompanhem para saber mais novidades.
Organização: Adriana, mãe da Diana
Informações: assessorias de imprensa