27 de fevereiro de 2013

Desabafo

Ja fui criticada porque ensino algumas palavras em inglês a ela. Porque ja usei gel em seus cabelinhos e porque só lavo os cachos de minha filha dia sim, dia não. Fui criticada porque a creche foi nossa unica opção quando ela tinha apenas sete meses, bem como pelo regime integral. Fui criticada porque ela vai fazer balé com menos de 04 anos, ainda no Maternal, e porque dou tomate cereja orgânico de lanche.
Pela ministração do ensino religioso, já que somos protestantes, e porque gosto de ir a todas as festas de Escola que consigo porque para muitos isso seria mero detalhe convencional, formalidade desnecessária. Ou que foi um absurdo ter furado suas orelhinhas com menos de 03 dias de vida, para poder colocar brincos.
Sou assunto porque a deixo sem culpa por uma hora sozinha em brinquedoteca quando vou ao shopping e quero tomar um café lendo alguma coisa. Já fui alvo quando a levei para uma corrida só para crianças porque isso estimularia a competitividade. Porque ela não descalça o chinelo mesmo quando estamos em casa (é que em geral os filhos aprendem por imitação). Quando a deixo cair na água falam que está frio, que absurdo. Quando não permito sou "a neurótica" que não deixa a filha pequena se divertir. Se deixo brincar na friagem, sou irresponsável. Se proíbo, argumentam que expor ao sereno ajuda a fortalecer a imunidade. Vai entender!
[pausa para respirar e
postar uma imagem com a legenda
contendo o que quase toda mãe no mundo tem vontade de dizer]
Ja fui condenada por não dar refrigerante e pelas vezes em que recorri ao leite de soja porque a última descoberta da ciência diz que o troço que era o máximo agora é nocivo. Pela alimentação saudável e regrada e pelos momentos em que libero a batatinha-frita. Fui julgada porque não quis ter babá de jeito nenhum. Porque foi minha filha quem "me desmamou" e aos dez meses e meio não quis mais LM, vulgo leite materno. Já falaram até da mochila da Branca de Neve cheia de brilhos e frufrus.
Agora rola um post que compartilha texto de Martha Medeiros pelo Facebook descendo a lenha em pais que levam filhos à disney antes de serem alfabetizados (como se isso fosse atestado de "eu não te amo, mas tento compensar assim, está bem, meu filho?"). Até tu, Martha? Te leio desde os dezessete anos e até que "curto" suas crônicas (sem o perdão do trocadilho). Fica tranqüila que não sou passional, não temos vínculo pessoal, sou mera leitora e não cortarei relações contigo por causa dessa bola fora.

A grande questâo é que ninguém relativiza mais nada, julgar é a primeira e mais fácil opção. Achar legal e clicar no "share" está em segundo. A pergunta que encerra é: onde fica mesmo? Aquela livraria que não sei o nome mas que deve ser a única onde vendem Manual de Instruçōes para cada um criar seu filho? Parece injustiça porque só não falaram a mim (e pediram segredo a todas as outras) sobre a tal listinha que relaciona o que pode e o que não pode, muito menos identificar nome por nome quem iria compor a banca examinadora permanente de avaliação da minha versão mãe de primeira viagem. Sâo julgamentos, julgamentos e julgamentos sem parar.
Bem, enquanto não encontro a tal "receita de bolo" sigo criando minha filha do jeito que orienta o meu coração. Aceitando bons conselhos, testando algumas sugestōes, dando ouvidos a pessoas experientes e amigos queridos, mas de modo confesso ignorando o que eu mesma julgar que é conveniente.

E peço muito gentilmente, caro(a) leitor(a), que você entenda este texto como um desabafo, não um lamento. Mas sobretudo, e em nome de todas as mães do mundo, nos deixem ser quem somos! Nem melhores, nem piores. Simplesmente mães.
Maiara, mãe de Nicole



26 de fevereiro de 2013

Como é ser mãe de criança bilingue?


Eu não tinha muita escolha. Ou seja, depois de escolher o pai da minha filha, eu não tinha mais escolha. Minha filha ia ser bilingue. Apesar de morarmos no Brasil e apesar de eu falar fluentemente (pelo menos na minha opinião ;) o português, eu falo finlandês com minha filha desde que ela nasceu.

Mas porque? Só tem cinco milhões de falantes em um país distante. Um idioma pouco útil no mercado mundial. Um idioma que não tem nada a ver com os outros idiomas, ou seja, nem ajuda para aprender algo mais “útil”.

Por que é o idioma do meu coração. Faça um teste. Procure na Internet um palavrão bem feio em um idioma que você não domina. Por exemplo, em finlandês. Agora fala este palavrão na cara da sua mãe. Ou para caixa do supermercado. Ou para Zé da Esquina. Doeu? Sentiu alguma coisa?

Eu não sinto. Posso sair por aí distribuindo um “eu te amo” para qualquer um sem menor dificuldade. Mas se me pedir para falar um “fdp” (desculpem a linguagem) em finlandês para minha mãe, eu não consigo.

Então, para minha filha, eu falo finlandês. E ela o fala com os avôs, os tios, os primos, os padrinhos finlandeses que não falam português. No nosso meio, é útil e necessário.

E é fácil?

Surpreendi-me com a facilidade que ela aprende. Pois ela passa o dia ouvindo português e em casa, quando estamos nós três, falamos português. Mas não fiz nenhuma mágica, nem submeti ela a longas horas de aulas de finlandês. Apenas falo. E leio. Leio muito, muito mesmo. Temos CD’s, DVD’s e assinamos canais da Finlândia pela Internet (custa 8 euros por mês, fica a dica ;).

Hoje, com três anos, ela fala fluentemente e entende tudo. Lógico que ela erra na gramática, às vezes enfia uma palavra de português – e conjuga segundo gramática do finlandês. Lindinho! Mas ela erra também alguns verbos de português, acho que da maneira que crianças unilígues também.

Em breve, um desafio me espera. A alfabetização! Daí eu volto a contar.

Beijos bilingues para todas famílias unilingues, bilingues e monolíngues!

Raisa, mãe de Liina

25 de fevereiro de 2013

Dando asas à curiosidade: uma tarde no museu

Sou nascida e criada em Brasília e desde sempre ouço as pessoas reclamarem que aqui não temos "nada para fazer". A expressão típica dos que vêm de fora da cidade contrasta com a realidade que vivi e vivo.

Meus pais, apesar de trabalharem horas e horas e mais horas durante a semana, sempre tinham tempo para nós e, em especial, nos fins de semana saíamos para explorar a Capital do país. E, como típicos brasilienses, eu e meu irmão crescemos nos parques, na torre, nas cachoeiras e nos museus da cidade. Cada fim de semana papai e mamãe vinham com uma novidade. Domingo, exaustos de tanto brincar, terminávamos o dia tomando uma canja deliciosa e assistindo os Trapalhões, única ressalva à ordem do fim de semana: TV desligada.

Aqui em casa estamos tentando reproduzir esse aspecto da minha infância. Fim de semana é para passear, explorar, descobrir o mundo e a cidade (ou seria a cidade e, graças a ela, o mundo?). Dentro "do projeto", fizemos um passeio muito legal ontem e, chagando em casa, corri para escrever o presente post e partilhar a dica com vocês.

Fomos ao CCBB. Eu amo aquele espaço. Eclético, aberto, livre, com cara de família inteira feliz, da bisa ao bisneto!

No momento, dentre outras delícias, como uma mostra de Tarantino, há uma exposição de Caio Guo-Qiang, um artista chinês que merece ser conhecido! A mostra é um barato para a criançada, pois tem robôs, tinta, póvora e muitos "aparelhos de voar".

O site do CCBB apresenta a amostra da seguinte maneira:

Cai Guo-Qiang é um dos poucos artistas chineses que conseguiu superar as barreiras comunistas de seu país de origem e ganhar reconhecimento internacional. Vencedor do Leão de Ouro na Bienal de Veneza em 1999 e do Praemium Imperiale em 2012, o artista traz pela primeira vez ao Brasil as engenhocas desenvolvidas em colaboração com inventores chineses amadores, construídas a partir de materiais de uso diário. A seleção de obras da exposição inclui ainda uma série inédita de telas criadas com explosões de pólvora, marca registrada do trabalho de Cai, feitas em Brasília, especialmente para a mostra brasileira. Parte da mostra ocupará o Museu Nacional dos Correios. 

Achou interessante? Então deixa eu completar:

Impressionados com as "inventações"
Mamãe, uma carruagem de robô!

medo de túnel? Que nada!
pausa para brincar no playgroud do CCBB
Papai explicando e meninos encantados


                                                                                          Abraços, Lucyanna (mãe do João Paulo e do Gabriel)
 Data:De 2 de fevereiro a 31 de março de 2013Idade recomendada:

 Horário:Sexta e sábado, às 9h, às 11h, às 15h e às 17h 
 Local:Área Externa | SCES, Trecho 2, lote 22
 Bilheteria:Terça a domingo, das 9h às 21h | Telefones: (61) 3108-7600
 Ingressos:Entrada Franca



fonte: site CCBB

24 de fevereiro de 2013

WOOP + Boobambu Academia da Criança em Águas Claras



Você é o nosso convidado espepcial para conhecer a nova unidade da Boobmabu Academia da Criança em Águas Claras!

Agende um atendimento personalizado com uma de nossas consultoras e conheça os nossos diferenciais e as atividades que oferecemos para estimular a autoestima, a inteligência e a saúde do seu filho.

Telefones: (61) 3797-0999 ou (61) 3264-0998

22 de fevereiro de 2013

Pergunte ao Dr. Petrus


A gestação é um momento mágico, mas não podemos negar que no começo o corpo (e suas funções) nos deixam meio incomodadas. São muitas novidades (psicológicas e fisiológicas) e nem todas agradam num primeiro momento.

Algumas leitoras passaram por “incômodos” e vieram aqui tirar suas duvidas.


Pergunta de Clismara

Bom dia!

Estou grávida de aproximadamente 8 semanas e há cerca de uma semana tenho apresentado fezes amolecidas. Minha primeira evacuação do dia é bem mole,as vezes líquida, mas em quantidade bem pequena. Durante o dia evacuo cerca de três vezes. Raramente sinto cólica, o que ocorre na primeira evacuação. Consultei a médica e ela me disse o amolecimento pode ser em virtude da mudança brusca de alimentação, pois tenho consumido bastante frutas, derivados do leite e verduras, além de pão integral, granola. Bebo bastante água durante o dia e de dois dias pra cá, tenho tomado água de coco duas vezes ao dia.

Gostaria de saber do Sr. Doutor Petrus, se isso é "normal" no início da gravidez e quais atitudes devo tomar para mudar essa situação.

Obrigada,


Olá, Clismara!

Na gestação, normalmente, o ritmo intestinal se lentifica devido ao aumento do hormônio progesterona, o que pode acarretar em constipação ("prisão de ventre").

Padrões de fezes líquidas ou pastosas podem ser consideradas como diarreia. Nestes casos, o aconselhamento é de usar alimentos mais constipantes e ingerir muito líquido (costumo orientar 1 copo de líquido ou similar para cada evacuação líquida) a fim de se evitar quadro de desidratação. Não devem ser usadas medicações como Imosec!

Há a necessidade de saber: características das fezes (com restos alimentares ou não, com sangue ou não, com muco ou não,...), sintomas associados (febre, padrão de dores,...), história de doenças intestinais anteriores, uso de antibióticos prévios à diarreia(principalmente amoxicilina e cefalexina), uso de medicações (vitaminas com suplemento de ferro, Utrogestan,...) e quadros semelhantes em familiares.
A mudança de dieta pode levar sim a um "intestino mais solto", mas é importante descartar outras causas, principalmente às infecciosas caso você permaneça com esse padrão de fezes. Sendo necessário, em alguns casos, a investigação por exames de laboratório, tais como EPF, MIF, exame de Baerman, coprocultura e exames de sangue.

Atenciosamente e à disposição,
Dr. Petrus Sanchez
CRM-DF 13584
TEGO 0212-2008
PACIENTES E FAMILIARES: As orientações médicas acima possuem caráter meramente informativo, não substituindo a consulta médica presencial necessária


_______________________________________________________________________________


Olá Dr. Petrus, estou grávida de 8 semanas e como tive um aborto no inicio do ano o médico pediu que tivesse muito cuidado nesta gestação, assim estou com algumas restrições como atividade fisica e relações sexuais, além disso, estou fazendo uso de progesterona 3 vezes ao dia. Gostaria de saber quais os riscos de dirigir nesta fase da gestação. Além é claro do risco de colisão o ato de dirigir em si trás um risco para o bebê?
Obrigada, e até logo, Marina Passebon.

Olá, Marina!
Entendi, pela exposição do seu caso, que o seu médico adotou uma conduta baseada em ameaça de aborto nesta gestação. Sendo assim, o repouso relativo e a abstinência sexual são medidas de precaução a fim de reduzir o risco de aborto.
A direção de veículos é desaconselhável no repouso relativo até 12-13 semanas de gestação. Após isso, somente se ocorrer liberação médica.

Atenciosamente e à disposição,
Dr. Petrus Sanchez
CRM-DF 13584
TEGO 0212-2008
PACIENTES E FAMILIARES: As orientaçöes médicas acima possuem caráter meramente informativo, não substituindo a consulta médica presencial necessária

E você, está gravida ou tentando engravidar??? Tem alguma dúvida que esqueceu de perguntar na ultima consulta??? Escreva para nós!!!

21 de fevereiro de 2013

Quinta visita à odontopediatra




E você aí se perguntando: essa mulher é louca ou o quê? Isso lá é assunto para post???

Pois é.. Tempos atrás vim aqui contar como foi a primeira visita da minha pequena à dentista (ficou curiosa(o)? leia o post aqui). Agora vim contar para vocês o que se seguiu.



Desde aquela primeira visita, continuamos levando Laura ao consultório a cada seis meses para limpeza dos dentes e aplicação de flúor. Nas primeira visitas eu sentava na cadeira da dentista e segurava Laura no colo. Depois, apenas ela na cadeira. A novidade desta vez é que, recém completados 3 aninhos, ela entrou sozinha no consultório da "tia dentista". Agora você deve estar se pensando: essa daí é daquelas que acha a filha linda, maravilhosa, a última coca-cola gelada do deserto....Eu acho mesmo (kkkkk) e qual mãe não acha? Mas isso tudo é só para demonstrar/reforçar como é importante iniciar os cuidados com os dentinhos desde cedo. Se hoje a criança entra sozinha no consultório (sem reclamar, chorar ou mesmo olhar para trás) é porque as primeiras consultas serviram para que ela se sentisse segura neste ambiente. 

Mesmo aquela pessoal vestida de jaleco, touca, luvas e máscara ou novidades como a limpeza dos dentes com a escova elétrica (antes era feita só com algodão) não a deixam assustada. E é claro que a simpatia da profissional, os balões coloridos e adesivos nas unhas (!?) são ingredientes extra para o sucesso da visitas semestrais! 



Outra ponto positivo de começar cedo a cuidar dos dentes é a inserção do hábito de escovar os dentes e passar o fio dental. Quando vier a segunda dentição (dentes permanentes), seu filho não vai ter problemas em mantê-los bonitos e saudáveis, pois já está habituado a cuidar deles.
Por fim, 3 anos sem nenhum sinal de cárie e agora estamos no próximo passo: aprendendo a escovar os dentes sem engolir a pasta.

E aí, você já levou seu filho ao dentista??




20 de fevereiro de 2013

Ouvidos de Mãe

Não é difícil ver mães se queixando que dormem mal desde que tiveram filhos e eu não seria diferente. Na realidade não é que meu sono seja de má qualidade, mas ele se tornou superficial. Antes das meninas eu apagava e não era qualquer ruído que me despertava.
As primeiras semanas após o nascimento da primogênita foram terríveis no quesito dormir. Não que ela ficasse acordando toda hora, muito pelo contrário, dormia direitinho, mas isso incluía se mexer, suspirar e até dar pequenos gemidos. O problema é que ela estava no carrinho ao lado da minha cama (atire a primeira pedra quem nunca fez isso!!) e ao menor sinal de barulho lá estava eu em cima dela conferindo.
Quando resolvi transferi-la para o berço no quarto ao lado, tive uma noite maravilhosa. Mãe é algo meio místico, quase mágico e sobrenatural e consegue escutar os ruídos dos filhos mesmo quando não estão por perto.
Costumo dizer que mães escutam com o coração e não com os ouvidos, pois desde que tive a segunda filha, dormir virou uma tarefa complexa e até a respiração do marido incomodava, então adotei um tampão de ouvido para minimizar os ruídos. No começo fiquei com medo de não poder atender alguma emergência delas, por outro lado, dormir bem era uma necessidade e nao dava pra continuar me arrastando devido a noites insones. É incrível que sirenes, buzinas, música e outros sons não me acordem, mas uma simples tosse ou um "mãããe" me despertam na mesma hora. Por isso dizem que há coisas que só mãe é capaz.

Polyanna, mãe de Ágata e Iris.

19 de fevereiro de 2013

Pesquisa comprova: cantarolar em casa desenvolve o cérebro de bebês


Atividades musicais no cotidiano desenvolvem  o cérebro de crianças de 2 a 3 anos, diz pesquisa publicada no European Journal of Neuroscience. A pesquisa foi conduzida em laboratório multidisciplinar de música.

Já se sabia dos benefícios de prática musical para o desenvolvimento de crianças mas os estudos anteriores focaram atividades em ambientes de ensino. Várias pesquisas apontam a importância da música principalmente no desenvolvimento da concentração que é uma chave para todo aprendizado. Música auxilia também, comprovadamente, o aprendizado de idioma materno e idiomas estrangeiros.

Nesta pesquisa, concluiu-se que cantar e tocar instrumentos em casa é ainda mais importante do que aulas de musicalização. Segundo o estudo, cantar, danças e tocar instrumentos em casa é importante porque a criança pode se envolver completamente na música sem interferência de um professor ou outras crianças. Ela mergulho no mundo das melodias e usa-as na sua imaginação.

Porém, aulas de musicalização são importante também pois servem de inspiração para cantar em casa.

Veja lista de aulas de musicalizacão para bebês em Brasilia: http://www.bigmothernsbrasilia.com/2012/07/musicalizacao-infantil-para-bebes-em-bsb.html 

Raisa, mãe da Liina

18 de fevereiro de 2013

Carnaval BMB 2013


Nosso blog nasceu da vontade de partilhar e registrar os encontros de um grupo de mães que se conheceram pela internet. Esta história é velha, já conhecemos, não é?

Então hoje venho trazer algumas fotos da nossa folia 2013!

A festa foi dividida em 3 encontros parciais, infelizmente não conseguimos reunir toda a “galera” em nenhum dos momentos.

O primeiro encontro foi só dos papais e das mamães J Domingo de carnaval fomos ao show do Monobloco! Foi a estreia de uma de nós deixando o filhote na casa alheia, então, além de diversão, tivemos uma noite de emoção e alegria....filhos crescem, nós precisamos saber disso e nos libertar também das culpas!



Segunda-feira foi a vez de reunir papais, mamães e pimpolhos na casa da BMB Mayara e do tio Robertuuuu. Muito confete, muita serpentina, um lanchinho no estilo “cada um traz um pratinho” e uma seleção musical quase perfeita (o anfitrião enrolou e não colocou o frevo da tia Quel!!!!) ! As crianças (de todas as idades) brincaram pra valer! Foi um momento em família, leve e sem exageros, como a vida deve ser!
 



E nossa folia ultrapassou o reinado de Momo, pois na Quarta-feira de cinzas, a eu recebi 5 dos filhotes das BMB’s (somando com os meus, eram 7 anjinhos) em minha casa e, junto com a super BMB Raquel, transformamos o feriado escolar em uma grande farra! Teve piquenique, cineminha com pipoca, parquinho, bolo de cenoura com chocolate e muita brincadeira!
Deste jeito, leve e harmônico, é que nós queremos levar o ano de 2013 inteirinho! Fortalecer laços e lembrar que a vida só se vive uma vez!




Abraços, Lucyanna (mãe do JP e do GB)

17 de fevereiro de 2013

10 alimentos que parecem saudáveis, mas não são!





Barrinha de cereais, leite de soja e peito de peru são apenas algumas opções que você compra pensando na saúde do seu filho. Apesar da cara de nutritivos, cuidado: é preciso consumi-los com moderação

Fernanda Carpegiani

1 - Barrinha de cereais Elas prometem ser uma ótima opção para o lanche das crianças porque são práticas de armazenar e contêm fibras – nutrientes que aumentam a sensação de saciedade, dão energia e ajudam no funcionamento do intestino e na absorção de gorduras. Pelo menos na teoria. Especialistas alertam que muitas das barrinhas de cereais que existem no mercado são, na verdade, ricas em açúcar e sódio. Para saber se a que você compra é assim, compare os ingredientes que estão no rótulo. O que vem primeiro é o que está em maior quantidade, então procure marcas em que a fibra esteja no começo da lista. Prefira as de fruta, que são menos gordurosas, e as que contêm flocos de milho, mel, aveia e castanhas. “Também fique de olho porque a lecitina de soja, substância usada para dar liga no alimento, pode causar alergia nas crianças”, alerta a nutricionista Elaine Pádua, autora do livro O Que Tem no Prato do Seu Filho? – Um Guia Prático de Nutrição Para os Pais (Ed. Alles Trade). Você pode fazer uma barrinha mais natural em casa ou substituí-la pela bananada (doce de banana em massa) sem açúcar, que também tem fibra e mais vitaminas. Nesse caso, a banana não é desidratada, como na barrinha, mantendo seus nutrientes. 

2 - Suco de caixinha Algumas dessas bebidas, também chamadas de néctar de fruta, têm tanto quanto ou até mais açúcar do que os refrigerantes. São até duas colheres de sopa a cada 200 ml, além de uma quantidade grande de sódio, substância que, em excesso, pode sobrecarregar os rins e aumentar as chances de a criança ter pressão alta no futuro. Os corantes e aromas também aparecem no suco de caixinha (inclusive nos de soja), ou seja, mais química ainda. A saída é alterná-lo com o suco natural (ou água mesmo!). Você pode dar o industrializado no lanche, por exemplo, e o caseiro, no jantar. Na lancheira térmica, o suco natural dura até três horas sem estragar. Para aumentar a duração da bebida, misture-a com água de coco, que retarda o processo de oxidação, é um hidratante natural e não tem muito sódio nem na versão das prateleiras. Outra alternativa são os sucos prontos integrais, que não têm açúcar e só precisam ser dissolvidos em água. Mas não abuse. Qualquer tipo de suco deve ser consumido no máximo duas vezes ao dia, pois são calóricos – pense que, para fazer apenas um copo do de laranja, é preciso três frutas! 

3 - Peito de peru 
Apesar de ser visto como uma alternativa melhor do que o presunto, os dois têm a mesma quantidade de sódio e gordura porque são uma mistura de carne e pele (eca!) do animal. Para conservar o produto, as indústrias usam nitritos e nitratos, substâncias químicas que, segundo algumas pesquisas, podem causar câncer se consumidas por muito tempo. Por isso, libere esses alimentos embutidos ou processados (e, nessa categoria, entra também a salsicha e a mortadela) apenas uma vez por semana, de preferência a versão sem capa de gordura. 

4 - Sobremesa láctea 
As sobremesas lácteas (como o queijo petit suisse ou aquelas sabor chocolate, baunilha...), fazem sucesso com as crianças porque são bem docinhas e saborosas. Mas não se engane pela aparência de iogurte, pois elas têm bem menos quantidade de cálcio – um mineral essencial para o crescimento e fortalecimento dos ossos, dentes e cabelos. Além disso, esses produtos são gordurosos e têm pouca proteína. “No lugar da fruta, mais nutritiva, muitos contêm aromas e corantes artificiais, que devem ser evitados nos primeiros anos de vida pois estão relacionados a uma série de problemas – de alergia à hiperatividade”, afirma Elaine Pádua. Ela explica que os corantes amarelos e vermelhos são os mais perigosos. É claro que seu filho vai querer comer essas guloseimas de vez em quando. Porém, sempre que possível, substitua por uma mistura de iogurte natural com a fruta que ele mais gosta. Basta bater essa combinação no liquidificador ou amassá-la com um garfo. Se o seu filho quiser algo mais doce, coloque açúcar mascavo. Essa preparação deve ser consumida entre 30 minutos e 1 hora. 

5 - Leite de soja 
A soja é classificada como um alimento saudável, mas nem sempre é uma boa ideia oferecê-la para as crianças. Isso porque pode ser tão alergênica quanto a lactose, presente no leite de vaca. “A soja é uma proteína de difícil digestão, por isso, pode causar alergias alimentares em crianças menores de dois anos, que têm um sistema digestivo imaturo”, afirma a nutricionista Santhi Karavias, do projeto Lancheira Saudável, em São Paulo. Alguns especialistas até questionam o nome “leite”, já que ele não oferece os mesmos nutrientes, como os aminoácidos e o cálcio. Se o seu filho tem intolerância à lactose, você já encontra bebidas com adição de cálcio. Também vale substituir por leite de arroz, amêndoa e de cabra. 

6 - Bisnaguinha Ela é molinha e fofinha graças a muuuita gordura hidrogenada! Esse tipo de pão é feito de farinha branca e açúcar, ou seja, tem poucos nutrientes e nada de fibras. Não faz mal oferecê-lo uma vez por semana, mas, nos outros dias, opte pela versão integral ou de fôrma, recheando com requeijão ou até geleia, contanto que seja sem açúcar. Os pães de padaria ou feitos em casa, naquelas panificadoras portáteis, também são ótimos substitutos, pois têm menos conservantes. Outra opção rápida e saudável: minipizza de pão sírio! Chame seu filho para ajudar você a montar essa delícia com muçarela de búfala, queijo prato ou queijo branco, tomate – pode ser o cereja, que as crianças adoram – e algumas folhinhas de manjericão fresco. Aí, é só colocar no forno em fogo baixo por 15 minutos e se deliciar. 

7 - Frozen yogurt 
Eles parecem saudáveis por conta do iogurte, que tem pouca gordura e é fonte de cálcio. Realmente são uma boa opção, mas só se a marca de frozen usar iogurte de verdade em sua formulação. “Esse ingrediente é bom porque é natural e não tem aromatizante”, explica Santhi Karavias, do projeto Lancheira Saudável (SP). Em 2011, o Proteste analisou oito lojas e constatou que apenas uma usava mesmo a bebida láctea, enquanto as outras misturavam sorvete comum ou à base de iogurte. “Esses últimos têm gordura saturada e trans, que aumentam o colesterol ruim e ainda diminuem o bom”, completa Santhi. Para se proteger dos “falsos”, analise o rótulo (quando tiver) e pergunte a porcentagem de gordura (quanto mais próxima de zero, melhor). Ah, e controle as coberturas escolhidas pelo seu filho, que costumam ser uma bomba calórica.

8 - Cereal matinal 
Já reparou no que sobra no saquinho quando acaba o cereal do seu filho? Açúcar puro. Pode ser uma boa fonte de energia, já que cada grão do cereal é um grão de milho, mas só. “É possível conseguir a mesma quantidade de carboidratos em outros alimentos, como pão integral e mingau”, explica a nutricionista Priscila Maximino, da Nutrociência, que presta assessoria nutricional, em São Paulo. Há, no entanto, opções sem açúcar (em geral, destinadas aos adultos). Você pode adicionar uma fruta, como banana ou morango, para deixar a mistura mais docinha. Depois que seu filho tiver um ano, também dá para usar mel. Se quiser usar açúcar mesmo, prefira o cristal (uma colher de chá basta), que é menos processado do que o refinado. 

9 - Empanados de frango 
Parece carne de frango, mas o empanado é o que os nutricionistas chamam de compensado, uma mistura de ingredientes nada nutritivos, como partes de frango, pele, farinha e leite em pó. Então, mesmo que você faça assado em vez de frito, ele não é saudável. Para piorar, o que dá gosto à mistura é o glutamato monossódico. “A substância realça o sabor e interfere no paladar da criança, deixando a papila gustativa acostumada a esse tipo de alimento”, conta a nutricionista funcional Gabriela Maia, do Rio de Janeiro. Muitas vezes o empanado industrializado é usado como substituto da carne de boi ou de frango, que são proteínas completas. Só que eles não são equivalentes. Uma opção é fazê-lo em casa. Não tem tempo? Então, para suprir a quantidade de proteínas da carne, que tal cozinhar cerca de quatro ovos de codorna? O preparo vai levar os mesmos cinco a dez minutos. 

10 - Produtos light e diet 
Se você tinha a impressão de que poderia consumi-los sem restrições, esqueça! Para crianças, os diet e os light são indicados apenas em casos de doenças como obesidade e diabetes. Achar que eles podem ser servidos à vontade, já que têm menos açúcar e gordura, é um erro. “Isso porque o fabricante adiciona sódio para manter o sabor. Então, melhor ingerir uma quantidade menor da versão tradicional do que o dobro da light”, orienta Virginia Weffort, nutróloga do Departamento Científico de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). E a criança precisa de energia para crescer, então não é indicado tirar totalmente o açúcar da dieta – lembrando que ele é encontrado em vários alimentos, como frutas e massas. 
Eles são saudáveis, quem diria
Atum enlatado 
A versão conservada em água em vez de óleo é fonte de ômega 3 e tem gordura boa. Bom substituto para os embutidos. 

Legumes congelados 
São práticos e têm boa conservação de nutrientes e fibras. O congelamento faz com que percam apenas um pouco de vitamina C. 

Pipoca 
É rica em fibras e substâncias antioxidantes, que podem prevenir até câncer. Mas preste atenção no preparo: de micro-ondas não vale. Faça na panela com um fio de óleo vegetal. E não exagere no sal!
FONTE: http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0,,EMI330766-15149,00.html

16 de fevereiro de 2013

PROGRAMAÇÃO INFANTIL DE BRASILIA 16-17 FEV 2013


"Festival Internacional de Cinema Nueva Mirada"

Data: 16
Local: Teatro Sesc Newton Rossi - QNN 27, Lote B, Ceilândia Norte – DF
Horário: 14h
Entrada: FrancaTerceira sessão da mostra de curtas infantis de vários países. Para crianças de 4 a 10 anos. 

Filmes: O peixinho; Histórias do vento; O varredor da lua; As novas espécies; Os meninos da lua; Quando rodam as maçãs; A foto rasgada de Miriam; Grandes Planos; Meu final feliz.
A mostra itinerante do Festival Internacional de Cinema Nueva Mirada oferece a oportunidade de assistir a longas e curtas metragens que estão de fora dos circuitos comerciais da tevê e do cinema . Temas como companheirismo, solidariedade e responsabilidade permeiam histórias de personagens de hábitos e culturas diversas, da América à Europa. 



Teatro Infantil: "O Lobo e a Ovelha", com Cia. Três Amiguinhos



Data: 16 e 17
Local: Teatro Brasília Shopping
Horário: 15h e 17h
Entrada: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)  (+ BSB Kids e Sócios do Clubinho Néia e Nando).

A peça conta a história da Dona Ovelha que, cansada da vida no campo, decidiu morar na floresta. Mas o que ela não esperava é que no seu novo lar teria de conviver com um Lobo faminto e muito atrapalhado. Usando de todas as artimanhas e inteligência, a protagonista encontrara maneiras muito divertidas para driblar as tentativas do Lobo em devorá-la.





"Monster High", com Cia Teatral Néia e Nando

Data: 16 e 17
Local: Teatro da Escola Parque 307/507 sul
Horário: 15 h
Entrada: R$ 20,00 (meia)
Livre para todos os públicos
Inspirado no seriado de tv, em canal aberto. A trupe brasiliense encenará  a história de Frank, filha de 16 anos do Frankstein, em seu  primeiro dia de aula. Na escola estudam também os filhos de  monstros famosos como o Conde Drácula , o Lobisomem, a Múmia e a Medusa.



Domingo no Pátio:  “A bruxa do avental”, “O sapo dentro do saco” e “Menina bonita do laço de fita”. com Grupo Matrakaberta

Data: 17
Local: Pátio Brasil Shopping
Horário: 16h30
Entrada: Franca
Entre os contos que vão animar as crianças está o da bruxa do avental, contando a história de três ovelhinhas muito gulosas que comeram todo o capim que existia perto da casa de uma malvada bruxa. Já o conto do sapo dentro do saco conta as aventuras do animal, que foi capturado por meninos danados e malcriados. Além da sequência de trapalhadas até o sapo conseguir sua tão sonhada liberdade, a história também diverte as crianças por ser baseada em um trava-línguas.
Para completar a diversão, o conto “Menina bonita do laço de fita”, baseado no livro homônimo de Ana Maria Machado, conta a história de uma menina que tinha o cabelo negro como a noite e uma pele de pantera invejada por um coelho branco que fará de tudo para ter a mesma cor da menina. Será que ele vai conseguir?  


Concerto de Bolso: "Debussy para Crianças"

Data: 17
Local: Espaço Banco do Brasil - Iguatemi Shopping
Horário: 16h
Entrada: Franca

Debussy para Crianças - Concerto de Bolso é uma adaptação do espetáculo apresentado em Brasília em setembro de 2012, que recebeu um público aproximado de 6 mil espectadores.  A tônica do concerto é aproximar, de forma lúdica e divertida, a música clássica do universo infantil.
Com cerca de 40 minutos de duração, o concerto de bolso utiliza música ao vivo, narração, animação em vídeo e conta com figurinos e adereços que contextualizam a vida e a rica obra do compositor francês do período Impressionista, Claude Debussy.
No palco, renomados artistas da cidade. Compondo o grupo de música de câmara, a flautista Beth Ernest Dias, flauta transversal,  e o pianista Dib Franciss, piano digital. Aliado ao concerto, a personagem do Mestre de Cerimônia (Cirila Targhetta/Tatiana Bittar) apresenta aspectos históricos, curiosidades e características importantes da época. A história do compositor é representada em vídeos animados projetados em painel de led.


Domingo é Dia de Teatro: "Yakisoba", com Palhaço Pipino

Data: 17
Local: Teatro Eva Herz - Iguatemi Brasília
Horário: 15h
Entrada: Franca (mediante retirada de ingresso no Concierge a partir das 12h)

Os palhaços Macarroa, Mimosa e Pipino apresentam um programa de culinária para a TV. A receita dá errado e o trio de palhaços começa uma guerra de comida onde voa farinha e torta para todos os lados!




"Show de Mágica", com Tio André

Data: 17
Local:  Praça das Fontes - Águas Claras Shopping
Horário: 15
Entrada: FrancaCom muita magia e diversão, a Turminha do ACS vai brincar com o Tio André e fazer muita mágica. Entrada gratuita.
Depois os papais podem levar as crianças para brincarem no circuito de férias. Tem mini-roda gigante, trenzinho, pula-pula, tigrão inflável e muito mais. A organização é do grupo Ciranda. Para brincar por 20 minutos no circuito, o ingresso custa R$ 10. Divirta-se!


Exposição: " Cai Guo-Qiang - Da Vincis do Povo"

Data: Até 31/03
Local: CCBB
Horário: terça a domingo das 9h ás 21h
Entrada: Franca
Informações: 3108-7623 e 3108-7624.
O artista traz pela primeira vez ao Brasil as engenhocas desenvolvidas em colaboração com os inventores chineses amadores, construídas a partir de materiais de uso diário. A seleção de obras da exposição inclui ainda uma série inédita de telas criadas com explosões de pólvora, marca registrada do trabalho de Cai, feitas em Brasília, especialmente para a mostra brasileira. Nesta exposição estarão presentes trabalhos realizados nas Ufocinas pelas crianças brasilienses que participaram do evento.



Read more: http://brasiliadivertida.blogspot.com/2013/02/programacao-infantil-de-brasilia-16-17.html#ixzz2L3TjbO81




15 de fevereiro de 2013

Brigadeiro de Cereal Integral






Apesar de não cozinhar com tanta frequência, sou uma curiosa para assuntos culinários, e adoro testar receitas que, além de práticas e gostosas, sejam nutricionalmente interessantes. Afinal, se vamos ingerir algo, que tal pensar em fazer bem para o nosso corpo?



Por mais que hoje exista uma tendência a fazemos festinhas cada vez mais saudáveis, com menos frituras e produtos industrializados (oba!!!) tem uma coisa que é praticamente unanimidade e não pode faltar: brigadeiro!



E que tal agregar às festinhas a receita de um brigadeiro branco de cereal integral? E o melhor.... DE-LI-CI-O-SO!!!



CRIEI (sim, não vi essa receita em lugar nenhum, por isso me apoderei da criação, então, por favor, CITE A FONTE, ao replicar...heheheheh!) esse doce inspirada em uma postagem no Instagram do @grupo4moms, que fez um brigadeiro branco tradicional e o envolveu em granola, no lugar do granulado. 





Achei a ideia fantástica e na hora que vi lembrei-me de adorar fazer, quando era adolescente, brigadeiro branco com cereal matinal açucarado – daquela marca que todo mundo conhece. Ok, pode não ser a coisa mais saudável do mundo, era falar que não era bom é mentira.



Acontece que hoje não compro mais esse tipo de cereal, mas a versão integral , e minha opção é pelo Nesfit.



Então resolvi fazer o Brigadeiro Branco de Cereal Integral usando: leite condensado + nesfit + farelo de aveia para dar acabamento, no lugar do açúcar, confeito ou granulado.


O preparo é como um brigadeiro tradicional (leite condensado + um pouco de manteiga) e quando estiver quase no ponto, acrescenta o cereal ( a quantidade vai do gosto de cada um).  Deixe esfriar, faça as bolinhas e cubra com farelo de aveia.


Pode até não ter redução de calorias em relação à versão tradicional, mas com certeza terá um valor nutricional muito mais interessante, já que você estará ingerindo cereal integral junto com o doce, sem contar que não fica enjoativo, pois o cereal “quebra” um pouco do doce.



Eu super adorei e aprovei!

Faça para as festinhas ou mesmo para servir de sobremesa em um dia especial.


Já estou pensando agora é em outras combinações: aveia na massa, com acabamento de granola, por exemplo.


Espero que gostem como eu.


Depois voltem para contar!

Amanda, mãe do Gustavo