31 de agosto de 2013

Utilidade Pública: Aplicativo "Vacinação em dia"


A tecnologia que nos acompanha na frenética vida moderna tem o seu valor, não é mesmo?

Hoje o blog traz uma dica de utilidade pública que ajudará mamães e papais a não esquecerem a época correta de vacinar seus filhotes.

Estamos falando do aplicativo do Ministério da Saúde "Vacinação em Dia", lançado no último sábado e que se propõe a ajudar as famílias no controle do calendário de vacinas e na participação nas campanhas de vacinação realizadas nacionalmente.

Ainda não testamos por aqui, afinal, a novidade está saindo do forno, mas como somos mães e sabemos da importância de manter os filhos protegidos, viemos aqui contar a notícia o mais rápido possível.

O aplicativo pode ser baixado gratuitamente em smartphones, basta procurar por "vacinação em dia" e baixá-lo.

Mais informações vocês encontram no www.blog.saude.gov.br.

BMB




30 de agosto de 2013

Um final de semana dedicado ao esporte


Assim foram os dias 17 e 18 de agosto, quando aconteceu aqui em Brasília a 2ª Corrida Pão de Açúcar Kids (17.8) e a 6ª Maratona de Revezamento (18.8).

Foi um final de semana lindo, recheado de grandes emoções para nós mães, enquanto mães e enquanto corredoras.


Falando da PAKIDS, esta foi sua 2ª edição aqui em Brasília e a 2ª vez que marcamos presença com nossos filhotes. Relembre AQUI como foi nossa participação no ano passado.

É muito bom poder inserir nossos filhos de uma forma tão gostosa no mundo dos esportes e só uma pena não terem mais eventos dedicados a eles ao longo do ano.



Além do motivo principal de estarmos ali, que é a corrida por faixa etária, a PAKIDS proporciona a todos os participantes momentos de lazer pós prova, com espaço e brinquedos para as crianças, show de mágica e muita diversão. Mas é preciso ter paciência, pois para as crianças curtirem os brinquedos é preciso enfrentar filas, em alguns momentos bem longas.



O difícil é convencer os pequenos que tem hora para voltar para casa, rs. Sempre rola um protesto pedindo para ficar mais.

Nossa querida leitora Dhenise
É lindo ver o envolvimento das famílias e a alegria estampada no rostinho de cada criança. E em nome do esporte, e da inclusão que ele proporciona, vemos crianças com dificuldade motora vencendo barreiras, pais e mães empurrando o carrinho de bebê com um filho enquanto o outro participa, número de peito no sling para o caçula acompanhar o irmão mais velho, dentre outros tantos momentos lindos e emocionantes.




Se você ainda não foi com seu filho, fique atenta para o próximo ano. Certamente você e ele vão gostar.

No dia seguinte foi a vez da 6ª Maratona de Revezamento Pão de Açúcar.

Montamos um quarteto materno-feminino para participar – 4 mães, 42km, 10,5km para cada e muita vontade de vencer os próprios limites, competindo apenas com a vontade de dar o nosso melhor.

Ana Amélia, eu (Amanda), Maiara e Polyanna

Apesar de ser uma corrida mais solitária, em que cada uma larga separadamente para cumprir seu trecho na prova (geralmente corremos juntas, conversando, fazendo companhia uma à outra, rs), é também uma grande demonstração de amizade e espírito de equipe, em que queremos fazer o nosso melhor por nós, e por quem está junto naquele momento.



E posso dizer que cumprimos com louvor o que nos propusemos a fazer! Não é fácil sair de casa 6 da manhã, em pleno domingo, deixando marido e filhos, “só para correr”, mas GARANTO que vale a pena cada minuto a menos de sono, cada metro percorrido, cada suor derramado, cada instante longe dos que amamos. Quem corre sabe do que estou falando e, quem ainda não deu o primeiro passo, convido a experimentar esse vício do bem.




Passar um final de semana assim, invadida pelo esporte, faz-me sentir mais viva, mais feliz! Poder trazer meu filho para isso e ver que ele gosta, curte, é o tipo de presente que não tem preço.

Amanda, mãe do Gustavo.

P.S. 1: Após escrever esse post soubemos que completamos a maratona em 3:59:45. Para muitos pode parecer não ter importância alguma, mas para nós, mães e atletas AMADORAS, foi uma grande conquista. Deixo aqui as palavras da Maiara ao compartilhar essa alegria: "SOMOS SUB-4, uhuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu!!!!!!!!!!!!!!!!!! Minha gente, o quarteto fez uma maratona de revezamento em menos de 4 horas! Vocês tem noção da alegria da pessoa? O mundo inteiro pode achar uma bobeira, os corredores veteranos pode nos achar 'as tartarugas' mas nós, que há quatro anos ou menos estávamos grávidas ou tendo bebês, sabemos bem a Graça que é uma proeza dessas hoje para cada uma das que correu e das que foi conosco no coração em cada passo do circuito. Estamos 'parindo' endorfina em 2013, sem anestesia, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.... Vitória dedicada em primeiro lugar a Deus (tudo vem dEle e o que de melhor temos vai para Ele!!!!!!!!!!), às nossas famílias e às pessoas que amamos e tanto nos amam - por aturar essas monotemáticas/naturebas/vida saudável/atletas amadoras. Um abraço forte e super apertado aos queridos da Next, fofos sempre!!!"

P.S. 2: Nos dois dias de prova tivemos o apoio e a estrutura da nossa sempre parceira Next Clube Coach, o que sempre faz toda diferença. Obrigada!



29 de agosto de 2013

Tem Criança na Cozinha

Fazendo tapioca para o café da manhã

Estreou faz um tempinho, no canal GLOOB, um programa chamado Tem Criança na Cozinha.

O formato do programa é uma graça, assim como seus apresentadores, e meu filho (de quase 4 anos) se amarra.

O Gustavo é do tipo de criança que ama ajudar nas "tarefas de adulto", o que inclui a cozinha.

Basta eu ir para lá preparar algo que ele já pega uma cadeira para ficar mais alto e pergunta o que ele vai fazer. Quer ajudar mesmo e sempre lhe dou alguma tarefa: garantia de filho feliz e quieto enquanto executa sua parte, rs.

Como já existia esse interesse pretérito na cozinha, assim que ele viu pela primeira vez o programa Tem Criança na Cozinha, se interessou de forma IMEDIATA, de acompanhar atentamente, pedir para fazer as receitas, etc  (a vovó que o diga. Um dia teve que ir atrás de ingredientes para fazer com ele cake pop).

Comecei a assistir com ele os episódios e, apesar de, como eu disse no começo, o formato e apresentadores massa, na minha humilde opinião eles pecam em apresentar, em sua maioria, receitas recheadas de açúcar, chocolate ao leite e farinha branca.

Não é novidade para ninguém os altos índices de obesidade infantil e a dificuldade que existe, por parte dos pais, em estimular a alimentação saudável.  Com frequencia ouço de amigas e leitoras queixas sobre os filhos não comerem bem e acho que um programa assim, de grande alcance, poderia ser melhor explorado, de forma a estimular os pequenos expectadores a consumir alimentos nutricionamente mais interessantes, inclusive preparados por eles mesmos, como é a proposta do programa.

Fazem tapioca (legal!) e colocam doce para rechear (fail!), muitos bolos e coberturas açucaradas, doces variados... tem tanta receita legal usando ingredientes saudáveis, sem comprometimento do sabor e beleza, que poderiam explorar, que é uma pena não ver isso acontecer.

Não quero ser a chata do “só é legal o que é saudável” e sequer sou xiita em relação ao assunto, mas acredito que o programa poderia sim se atentar mais para essa questão.

Pretendo mandar o meu feed-back para o programa e convido você, caso compartilhe da minha opinião, a fazer o mesmo. Quem sabe em breve não vemos mais receitas saudáveis por lá!

Abraço,

Amanda, mãe do mini-chef Gustavo.

28 de agosto de 2013

Lado B de uma viagem a Disney


A grande maioria das pessoas ao pensar em Disney imagina um mundo lindo de personagens infantis, filmes, desenhos, bonecos, cores e fantasia. Diversão garantida dia e noite em um complexo inesgotável de brinquedos, atrações, gente feliz, criançada alegre, realização de sonhos. Disposição 100%!

É como gravidez de primeira viagem, ninguém conta para uma gestante que o pós-parto nem sempre é um mar-de-rosas, né? É tabu, como se fosse pecado falar mal ou sobre o mínimo de contratempo que seja na aventura em Orlando e arredores. Afinal é uma viagem cara, geralmente pensada em família e pela qual tudo foi planejado e ansiado nos padrões Disney de qualidade: com excelência e muita expectativa de que tudo saia PERFEITO.

Aí vem o blog Big Motherns Brasília pagar de estraga prazer num dia lindo como hoje. Isso é lá assunto que se aborde? Escrever post falando sobre pontos negativos de uma viagem à Disney?

Sim, minha gente, não é questão de ser “negativo”: é atentar para que também estes detalhes estejam sob relativo controle, de modo a não estragar nem um minutinho da sua viagem.

Fizemos uma coletânea entre os disneymaníacos e chegamos a esta listinha aqui: “O que, sob o ponto de vista das mães, precisa ser considerado como ponto negativo a ser minimizado, para a viagem a Disney ser um sucesso”.

Listamos o TOP 10 ‘SE LIGA, MAMÃE!’ para a sua viagem ser um sucesso:
1) Na Disneyworld as mães passam atestado de que dão um baile nos papais no quesito resistência física. Duas da tarde eles estão exaustos, alguns pedem pra voltar ao hotel para descansar - e a mulherada ainda dá o maior caldo! As crianças, depois de um cochilo no carrinho, nem se fala! Neste caso você pode negociar com o marido quais serão as pausas de descanso e por quanto tempo. Tá achando o papo exagerado? Garanto que é bom pensar neste assunto porque, num dia de parque, por volta das 14h30min, você vai me dar razão... :-)

2) Quando as crianças dão birra. No dia de ir ao Bibbidi Bobbidi Boo, o salão das princesas no Castelo de Cinderella, a minha filha não queria entrar POR NADA. Entrou porque não tinha jeito, havíamos feito a reserva e eu insisti. Ponto! Ela estava apavorada 'com o novo' e confesso que isso foi desgastante, cansativo mesmo. Logo depois, minutos após sentar na cadeira, enquanto estava fazendo penteado e pintando a unha e cabelo ninguém dizia que era ela quem estava aos prantos no lado de fora. Deu aquela canseira, não tem como negar. Aqui não tem fórmula mágica pronta porque é muito particular, cada família sabe como trata a birra de seus filhotes.

3) Quando os maridos (ou as mães) dão birra, hahahaha... :-/
Sem comentários. Nada a fazer, esperar passar.
Aqui não tem fórmula mágica pronta porque é muito particular, cada família sabe como trata a birra [2].

4) Quando a gente sente o dinheiro acabar e ainda quer aquele #musthave, só que não dá mesmo! A não ser que se queira voltar cheia de dívida e amargar lembrança ruim meses adentro. Melhor o #musthave ficar para depois.

5) Quando chove [pela chuva em si e também porque você não quer pagar no parque o dobro do preço que os principais supermercados da cidade (Walmart e Target) cobram pela capa de chuva das Princesas]. Ou passa antes no supermercado e compra (o máximo que pode acontecer é vopcê não precisar usar e a capa voltar para casa de souvenier. Se não comprou, paciência!

6) Quando faz sol escaldante de desfalecer e tira as forças, é muito puxado! É água, água e água. Protetor solar, protetor labial, boné e aproveitar qualquer sombra que aparecer 'dando sopa'. Só não pode é deixar de aproveitar.

7) Quando as crianças querem fazer xixi e estão no meio da atração ou o banheiro fica lááááááááááááááááááááá perto do 'Querida Encolhi as Crianças'.
Ninguém merece mas, fazer o quê? Sai correndo.

8) Quando a criança faz xixi na roupa / roupa íntima e no meio de tanto cacareco na sacola de mão você esqueceu justo a cueca/calcinha na mala e não trouxe nem uma muda de roupa reserva – é torcer pra criança não ficar assada. Leva aquela pomada A+D na nécessaire, é sempre bom ter à mão.

9) Quando se esquece de colocar na sacola alguma coisa da lista do que não se pode esquecer de jeito nenhum para curtir um dia de parque. Parece bobagem, mas não é, e não dá pra andar sem, especialmente quando estamos com crianças. Em nosso check list básico contém: protetor solar, óculos de sol, ingressos e cartão disney photopass, passaportes, dinheiro, cartão, chaves, pulseira de identificação da criança, muda de roupa como dissemos no item anterior, máquina fotográfica, boné ou viseira, petiscos e água. Ufa! Muita coisa? Cada uma mais essencial que a outra, não tem jeito.

10) Quando alguém fica dodói. Todo cuidado de prevenção é pouco numa viagem internacional: vacinas prévias, nada de superexposição, ficar quietinho pra não caçar imprevisto antes de ir. E na hora de fazer as malas: levar a sua farmacinha (acompanhada de receita médica) e despachar com a bagagem. A adesão a um seguro-saúde também é bem-vinda.

Talvez estes DEZ MANDAMENTOS do “não deixe que nada estrague a sua viagem” sejam os mais relevantes.Assim, de bate-pronto e por mais ruins que sejam estes acontecimentos, é bom que se diga: nada suplanta o lado bom.

Quando a gente atravessa o arco que adentra ao Complexo Disney tudo vira um sonho, então “let the memories begin". Aqui fica a nossa sugestão, pleneje bem direitinho tudo antes de ir, viva a expectativa gostosa com a sua família e faça uma boa viagem.

Beijos disneymaníacos de Maiara, mãe de Nicole.




27 de agosto de 2013

Brincando de ler

Em primeiro lugar, não faco questão de alfabetizar minha filha cedo. Para mim, infância é época para brincar e dá tempo aprender a ler depois. Na minha terra mais da metade das criancas não sabem ler e escrever no primeiro ano do ensino fundamental, aos 7 anos. E nem por isso são mais "burros" do que os outros povos.

Mas, na Boobambu, lugar maravilhoso onde fica minha filha no contra-turno da escola, conheci o método Doman. Segundo ele, quanto mais cedo, mais fácil o aprendizado de leitura e que não é só benefíco para as criancas como divertido.

Já que eu não tenho muita escolha e tenho que alfabetizar minha filha bilingue no idioma materno, finlandês, fui atrás do método. Vai que é fácil e me poupa o trabalho de ensinar ela a ler em finlandês?

Não vou entrar nos detalhes do método, podem ser encontrados facilmente na internet. Mas posso dizer que funciona! Fiz as palavras nos cartões e rapidinho ela aprendeu a identificá-los. Qual o menino que não conhece o símbolo do McDonalds? A lógica é a mesma: você mostra a palavra e o seu filho aprende a reconhecê-la.

Além dos cartões, fazemos outras atividades com a linguagem. Vejam as fotos!
Alfabeto em EVA. Cortei as letras em EVA vermelho e colei em pedacos de papelão que cortei de uma caixa. Colei primeiro EVA branco para o fundo e em seguida a letra.
A ideia para este cubo peguei no grupo "como ensinar seu bebê a ler" no Facebook. As palavras são colocadas em bolsinhas de plástico e assim fica fácil trocá-las. Este cubinho é tema família. As palavras são Liina, mamãe, papai, vovô, vovó, irmã.
Ela quis tirar esta foto, então, com vocês: a aprendiz Doman em acão!
Imprimi as palavras em cor vermelha, conforme indica Doman e coloquei em papel  pérsico.
Como ela não gosta mais só olhar as palavras, costumamos brincar. Aqui são três palavras, ela está procurando o nome dela. Ela abre um, olha e vê se é o que procura, senão, continua.

Ideia que "roubei" também da Boobambu. Outro dia ela veio com o papel escrito "soja" em grãos de soja. Nem  dei muita atencão. Depois, no outro dia, ela pegou o papel e leu: S-O-J-A. Wau! Rapidinho fui pegar nossa caixinha de sementes do cerrado e lá fomos nós colar mais palavras!


Raisa, mãe de Liina

26 de agosto de 2013

EDUCAÇÃO FINANCEIRA E OS “BIGKIDSBRASILIA”



Educar financeiramente os filhos é um dos desafios dos pais, ainda mais em um mundo como o nosso, onde o bombardeio de informação em cima dos pequenos (e de propaganda) é incrível!

Outro dia, no nosso bate papo interno, o tema “educar para poupar” povoou a pauta. Algumas BMB’s contaram suas estratégias lúdicas para ensinar aos pequenos que “quem poupa, tem”. Querem ver o resultado?

“....lá em casa é a casa dos porquinhos, desde que conheço o Marcus já vi ele quebrar alguns vários. Agora tem um grandão lá, Gabriel não pode ver uma moeda dando mole pela casa.”
Andréa, mãe do Gabriel




“...Lá em casa Rafael já encheu três cofres de tamanhos consideráveis, mas ainda não consegui fazer com que ele entenda a parte do "vamos ao banco trocar as moedinhas por notinhas".... :-S “
“...Me acabo de rir com ele... Pede uma coisa, a gente diz que não tem dinheiro, ele diz que no cofre tem, a gente diz que precisa quebrar, aí ele solta um "quando você tiver dinheiro você compra pra mim?"
 Carol, mãe do Rafael

Lá em casa como é um tal de quero isso, quero aquilo, até essas bobagens de padaria que fica só pra atiçar a criançada! 
Aí Roberto comprou um cofre e disse: pra vc comprar isso vai ter que juntar moedinhas no cofre! No dia que elas encheram o cofre Roberto quebrou e levou elas na padaria e compraram o ventilador da hello kity! Outra vez elas queriam uma bonequinha da feira e Roberto disse que não tinha dinheiro aí elas disseram: papai no meu cofre tem! Não tinha o suficiente, mas Roberto pegou o que tinha e completou o resto!!!
E assim vamos levando... Agora elas estão com outro e todo dia pedem moedinhas.”
Mayara, mãe da Aninha e da Maria


Ágata tem um cofre que faz barulho de sapo sempre que "engole" uma moeda. Graças a esse cofre elas nunca colocaram coisas na boca. 

Agora que elas ganham mesada, guardamos numa lata de panetone do parkshopping. Rsrsrsrs

Sempre que o sapo enche, troco por notas e elas guardam na lata ou na poupança... Até hj não gastaram com quase nada.”  
Polyanna, mãe da Ághata e da Ìris

Laura tem porquinho e eu ameaço quebrar quando ela faz arte. Tipo: se vc quebrar isso vou quebrar o seu porquinho para comprar outro... #maemala”
Raquel, mãe da Laura


E vocês, o que fazem para educar os filhotes financeiramente? Contem para nós!

Abraços, BMB

24 de agosto de 2013

2.ª FESTA DA ALEGRIA


Para você que se pergunta como fazer para ajudar o próximo e ao mesmo inserir o seu filho no contexto de solidariedade, hoje trazemos o anúncio de uma oportunidade maravilhosa.
Próximo sábado, 31/08/2013, acontece a 2.ª FESTA DA ALEGRIA.
O evento foi organizado pelo Grupo Mães Solidárias, que preparou uma linda festa para você e sua família!
Elas nos apresentam bons motivos para participar dessa festa:
1- Oportunidade de conhecer e fazer novos amigos;
2- Brincar com seus filhos e confraternizar com a família;
3- Ajudar ao próximo com o valor arrecadado.
O espaço onde acontece a festa tem brinquedos e diversão garantida para a criançada. Além disso, serão muitas delícias para saborear: salgados da Neide Nogueira Salgados e Vovó Cina, doces Patricia Cava, cookies Claudia Macintyre e Tobby's Cookies, huuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuum...
Leve suas crianças, a meninada vai amar! O espaço é bem preparado para receber os pequenos e com muitas atrações. As atrações estão incluídas no valor do ingresso.
Serviço
O quê: 2.ª FESTA DA ALEGRIA
Onde: Espaço Mais que Bombom
Quando: Domingo, 31/08/2013
Horário: a partir das 18h00min
Valor: R$ 35,00 (crianças até 05 anos, entrada gratuita; de 06 a 10 anos, meia-entrada)
Informações: grupomaessolidariasdebrasilia@gmail.com

23 de agosto de 2013

Campanha para atualizar caderneta de vacinação começa amanhã, 24/08




Amanhã (24) será o dia de mobilização nacional da campanha para atualizar a caderneta de vacinação das crianças menores de 5 anos. A campanha se estende até o próximo dia 30. Todas as vacinas do calendário básico estarão disponíveis. O alerta para os pais é que a criança que não completar o esquema de cada vacina, não fica totalmente protegida.
A campanha vai mobilizar 34 mil postos fixos de vacinação, além dos volantes, e 350 mil profissionais de saúde. Ao levar as crianças aos postos de saúde é importante que os pais estejam com a caderneta de vacinação. Mesmo que não tenham o documento, os responsáveis não devem deixar de participar da campanha. Caso não haja no posto registro de quando a criança recebeu a última vacina, serão seguidos os protocolos de atualização de acordo com a faixa etária.
As vacinas que estarão disponíveis nos postos são: BCG, hepatite B, penta, inativada poliomielite (VIP), oral poliomielite (VOP), rotavírus, pneumocócica 10-valente, meningocócica C conjugada, febre amarela, tríplice viral (sarampo, rubéola, e caxumba) e DTP (difteria, tétano e coqueluche). A ação ocorre em parceria entre o Ministério da Saúde, as secretarias estaduais e municipais de Saúde.
As crianças poderão receber também a suplementação da vitamina A para crianças entre 6 meses e 5 anos incompletos, que moram nas regiões Norte e Nordeste e em municípios prioritários do Plano Brasil sem Miséria. O complemento contribui para reduzir o risco de morte por diarreia e ajuda no desenvolvimento das crianças.