30 de abril de 2015

UM DOMINGO COM 3 FESTAS INFANTIS

 

UM DOMINGO. 3 FESTAS. 3 GRANDES AMIGOS DOS MENINOS. Não tinha jeito. Nossa presença era mais do que uma possibilidade, estava incluída nas obrigações sociais da agenda dos meus filhos (que, tenho certeza, é mais animada do que a minha e a do meu esposo). Então, ao invés de descansar, partimos para uma maratona de festas infantis.
 
O legal é que, além de terem sido festas de crianças que nos são muito queridas, tiveram estilos bem diferentes e todas foram muito originais. Pronto, viraram post. Big Mothern não resiste a partilhar novidades e dicas com as outras mães, não é mesmo?

Festa - 10h30
Local: Cinemark do Shopping Iguatemi
Tema: Filme com pipoca!
Como foi:
  • O convite imitava um ticket de cinema e pedia para chegarmos 10h30. Fomos pontuais, mas houve quem se atrasasse e perdesse parte da diversão! (Já fica a dica para os convidados: festas neste estilo merecem cuidado com o horário).

 
  • Todas as crianças ganharam um saco gigante de pipoca e um copo de refrigerante. Pegamos água para os meninos no bebedor do cinema e colocamos nos copos. Depois, já sentados na sala do cinema, mais pipoca e água foram servidos.
 
  • O filme começou pontualmente às 11h e era um que está em cartaz, mas a sessão foi fechada apenas aos convidados do aniversariante (pais e crianças).

  • A farra foi mais do que garantida. Risadas aos montes, emoção coletiva e aplausos no final.
 
  • Quando o filme acabou, o parabéns foi cantado ali mesmo, pois a mamãe e o papai prepararam uma linda mesa de bolo e doces na parte baixa da sala, logo abaixo da tela.
 
  • A lembrancinha foi um kit de pintura com tela. Super interessante, pois o filme trazia algumas "pinceladas" sobre arte e sentimento. Além da óbvia alusão ao fato de o cinema ser a 7ª arte.
Não era exatamente assim (peguei a foto na internet - Beeminecards.blogspot.com), mas vinha com todos os elementos da foto

O que mais gostamos: Criatividade e praticidade juntas. Todos curtiram (adultos e crianças). Fiquei pensando que os pais do aniversariante proporcionaram a todos os convidados momentos gostosos em família. Foi muito gratificante.
Para tomar cuidado: A mãe do aniversariante me contou que o cinema não faz absolutamente nada. Não ajudam com nada. Não montam um único detalhe da mesa. Achei que eles poderiam ser mais solícitos. Enfim, Brasília e seus serviços mal prestados.

2ª Festa - 12h30

Em um estilo muito diferente, esta festa também foi muito legal e vale a dica, mas vou contar em um próximo post, não deixe de conferir!

Abraços, Lucyanna (mãe do JP e do GB, galera de vida social agitada)

27 de abril de 2015

Ajude um adolescente a virar a página: doe livros para o Projeto Leitura - a Arte do Saber


Que a  gente curte muito apoiar e incentivar ações solidárias todo mundo já "está careca de saber", né!? Mas a gente também curte iniciativas como esta, da Vara da Infância e da Juventude do DF, que pretende levar a leitura a jovens internos e, com isso, expandir os horizontes desses jovens cidadãos. Quem quiser colaborar vem conosco! #doelivros #doecidadania

A Vara da Infância e da Juventude do DF (VIJ/DF), por meio da Rede Solidária Anjos do Amanhã, e da Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude, lançaram, em 15 de abril, a Campanha de Arrecadação de Livros para o Projeto Leitura - a Arte do Saber. A campanha vai até 15 de maio, e pretende-se arrecadar livros paradidáticos, ou seja, livros de literatura em geral.
 
Os livros paradidáticos podem ser entregues no Palácio do Buriti (sede e anexo), nas Secretarias de Educação, da Criança, Mulher, Cultura, Ciência e Tecnologia, Esportes, Desenvolvimento Humano e Social, Câmara Legislativa, Biblioteca Nacional, nas seis unidades do Na Hora e em todos os fóruns do DF. Clique aqui e confira a lista com as sugestões de livros.
 
O Projeto Leitura – a Arte do Saber, atualmente desenvolvido pela Secretaria da Criança na Unidade de Internação de Santa Maria (UISM), beneficia 150 adolescentes, entre meninos e meninas, que aos poucos vão tendo a oportunidade de virar a página por meio da leitura. A intenção é ampliar o Projeto para as outras cinco unidades de internação do DF, com a arrecadação dos livros, contemplando cerca de 900 jovens.
 
Em funcionamento desde abril de 2014, o Projeto tem por objetivo fomentar a leitura entre os adolescentes internos que cumprem medida socioeducativa nas unidades de internação do DF. A proposta é incentivar novas formas de ocupação dentro das unidades, a exemplo do hábito da leitura. Os adolescentes são conduzidos semanalmente à biblioteca da Unidade para devolver ou retirar livros ou podem fazê-lo no carrinho conduzido por um servidor que percorre os corredores dos módulos, distribuindo e recolhendo os exemplares.
 
Depois da implementação do Projeto, aproximadamente 90% dos 150 adolescentes internos da UISM passaram a se interessar pela leitura e a ler cerca de dois livros por semana, oito por mês. A UISM se destaca também por ter conquistado o status de tabaco zero, ou seja, não entra cigarro na Unidade.
 
Segundo o supervisor da Rede Solidária Anjos do Amanhã, Gelson Leite, a leitura já está impactando positivamente na vida desses jovens. “Já é possível identificar um aprimoramento no vocabulário dos adolescentes, inclusive nas audiências. A leitura despertou um maior interesse pelas aulas do ensino regular, além de importantes mudanças cognitivas e no comportamento”, pontua.
 
Além do ganho no vocabulário, a leitura impactou na ampliação do conhecimento e na melhora da autoestima dos jovens. Segundo a secretária da Criança, Jane Klebia Reis, os livros vão fazer toda a diferença na vida dos adolescentes quando saírem da Unidade.  "Muitos nunca tinham aberto um livro para ler e hoje quando visitamos a UISM eles pedem por mais títulos. Isso é um primeiro passo para mudar de vida quando saírem do sistema".
 
O carrinho do Abdala
 
A Unidade de Internação de Santa Maria (UISM) possui um acervo com 1,5 mil obras classificadas conforme a complexidade e o gênero (romance, história, poesia, psicologia, artes, autoajuda, sociologia, religião, biografias, literatura estrangeira). A maior parte fica na biblioteca e a outra é organizada dentro de um carrinho.
 
Abdallah Antun, um dos operadores do projeto, percorre os corredores dos módulos da Unidade com a biblioteca móvel, recolhendo e entregando livros. Roges Ribeiro, agente de reintegração socioeducativo da Secretaria da Criança, disse que os meninos e meninas já reconhecem o barulho do carrinho de Abdallah e fazem uma festa pedindo a aquisição de novos títulos. A partir da leitura, os jovens elaboram textos que, depois de corrigidos, valem bonificações.
 
“O livro me tira daqui e me leva para outros lugares”
 
Leitora voraz de livros, a interna da UISM, Marcela*, de 18 anos, vê na leitura uma oportunidade de “sair” dali e de visitar outros lugares. Ela está na Unidade há 1 ano e 8 meses e, desde o início do Projeto, em abril do ano passado, já passaram pelas suas mãos e crivo cerca de 30 títulos dos mais variados gêneros: de Dostoiévski à Clarice Lispector. Atualmente, ela está debruçada sobre dois livros de uma jornalista chinesa, Xinran: “As boas mulheres da China” e “Enterro celestial”, e relata que foram os melhores livros da sua vida.
 
Marcela diz que sempre teve o hábito da leitura, mas o aprimorou exponencialmente na unidade. “Ler é uma forma de ocupar a mente. Não tem como ficar sem eles”, registra. Atualmente, está no 1º ano do Ensino Médio, e as perspectivas para o futuro são boas. “Quero fazer Direito ou História. Os livros ampliam o meu conhecimento e melhoram a minha articulação na escrita. As resenhas que faço me ajudam nas provas do Ensino Regular”, declara.
 
Marcela afirma que o assunto que mais gosta é História do Brasil e estrangeira. “As meninas aqui gostam mais de romance. Posso afirmar que a maior parte das coisas que sei aprendi nos livros”. Além desses benefícios, a interna diz que a leitura traz ainda vantagens na execução da medida socioeducativa. “Ler melhora a nossa reputação aos olhos da juíza. Ela vê que estamos fazendo algo construtivo e isso pode nos beneficiar no cumprimento da medida”, conclui.
 
*Nome fictício em respeito ao Estatuto da Criança e do Adolescente
 
Fonte: Ascom/Vara da Infância e da Juventude do DF

24 de abril de 2015

A importância do sono para o cérebro das mulheres


Recentemente li uma matéria do blog Projeto Vhita, indicada nas redes sociais pelo homeopata e especialista em Estratégia Ortomolecular Ícaro Alves de Alcântara, aqui de Brasília, e parei para fazer uma analogia com o meu atual sono. Percebi que ando um "trapo" e com razão: há quase dois anos não tenho um sono de qualidade, como o indicado no texto original - acho que o meu "sono REM" anda bemmmm prejudicado, bem "RUIM" pra falar a verdade (hehehehe).
 
E você? A quantas anda sua qualidade de sono? Você tem filho pequeno e ainda não dorme uma noite inteira? Ou é concurseira e usa horas da madrugada para estudar deixando um pouco o sono de lado?

Se você se identificou com o meu perfil, pode ser que estejamos no mesmo barco, colega. Pensando nisso, fiz uma rápida pesquisa no Google e encontrei algumas clínicas especializadas em avaliar essa questão aqui em Brasília. Dá só uma olhada nos endereços e telefones (aqui) e, se for o caso, marque uma consulta pra começar a correr atrás do prejuízo.
 
Independente da escolha ou da situação, entenda porque é importante manter uma rotina saudável de sono para que seu cérebro funcione adequadamente, mulherada:

Se você é daquelas que deixam de dormir para estudar ou trabalhar ou então levam as preocupações do dia para a cama, trate de relaxar! Um sono de qualidade é essencial para ter disposição no dia seguinte e principalmente para suas funções cognitivas. Veja a importância do sono para a saúde cerebral:
 
O sono é uma necessidade de recuperação vital ligada aos órgãos do corpo. Funções importantes são desempenhadas, como conservação e reposição de energia, síntese de substâncias, amadurecimento do sistema nervoso central e consolidação da memória. Estes processos metabólicos, se alterados, podem afetar o equilíbrio do organismo, como aceleração de envelhecimento, menor vigor físico e até mesmo doenças mais graves.
 
As fases do sono
 
Nosso sono passa por diversas fases até atingirmos o pico do relaxamento.
 
Na fase 1 e 2, a melatonina é liberada e induz a sonolência, ou seja, os ritmos cardíaco e respiratório diminuem e os músculos relaxam, assim a atividade elétrica cerebral fica mais lenta.
 
A terceira fase representa o instante de descanso cerebral e da reorganização da memória, que é a fase do sono profundo.
 
Na última fase, acontece o sono REM, sigla em inglês para Movimento Rápido dos Olhos, que é o pico da atividade cerebral quando ocorrem os sonhos. O REM equivale a 25% do nosso sono e, durante esse tempo, nosso corpo faz a renovação de toda a musculatura.
 
Mulheres precisam de mais horas de sono
 
A quantidade de horas que um adulto deve dormir por noite varia de 6 a 8 horas e menos que isso pode até acontecer vez ou outra, mas não pode se tornar rotina para não prejudicar a saúde e virar um processo cumulativo.
 
Uma pesquisa da Universidade de Duke, na Carolina do Norte (EUA), mostrou que a diferença hormonal entre homens e mulheres faz com que elas precisem de mais tempo de sono que eles e, se isso não ocorre, as mulheres podem ficar mais hostis e mal-humoradas pela manhã. Além deste incômodo no humor, o estudo também sugere que poucas horas de sono e um sono de má qualidade – como acordar várias vezes durante a noite – pode ter consequências mais sérias para as mulheres, incluindo doenças cardíacas, depressão e problemas psicológicos que não são comuns em homens pelo mesmo motivo.
 
Mesmo que só uma noite mal dormida não afete sua saúde, essa carência de sono será notada no dia seguinte: Uma noite de sono de má qualidade interfere nas tarefas do dia-a-dia, desde a indisposição até a produtividade no trabalho. Irritação, cansaço, sonolência e instabilidade emocional na rotina estressante são alguns problemas enfrentados por quem dorme pouco.
 
A privação de sono, normalmente causada por preocupações, pode se tornar crônica, trazendo consequências irreversíveis para a sua saúde e ocasionar o encolhimento do seu cérebro, causando um declínio cognitivo.
 
Clique aqui e leia o artigo na íntegra.
 
Abraços,
 
Carol Braz, mãe do Rafael e da Beatriz

20 de abril de 2015

#euindico: Lembrancinha de aniversário


Eu contei aqui como foi a gostosa corrida pela festa de aniversário das minhas crianças no ano passado, mas deixei um capítulo à parte, para escrever num post específico sobre as lembrancinhas que oferecemos aos nossos convidados mirins: estojos com lápis de cor e apontador para levar para qualquer lugar.

Deixei em separado por duas razões: uma para refletir sobre essa decisão (que muito atormenta as mães) e outra para olhar criticamente sobre o que estamos fazendo com esse “mimo”.

Todo ano quando começo a me mobilizar para a festa de aniversário dos meus filhos tento organizar minhas ideias com o auxílio de uma planilha do Excel, onde, em tese, coloco tudo o que precisa ser pensado e comprado/contratado para o sucesso do evento. Em geral, tento dividir o arquivo em abas distintas, como “decoração”, “buffet”, etc., onde tento, na medida do possível e conforme as coisas vão surgindo, incluir item a item que precisará de minha atenção. Obviamente, o item “lembrancinha” toma um tempo considerável da minha reflexão e pesquisa de mercado.

Para os 5 anos do Rafael e o primeiro ano da Beatriz, escolhi uma lembrancinha única, com estampas diferentes, respeitando os dois temas da festa dupla, Carros para os meninos e Moranguinho para as meninas. Eu não queria cair na batida “sacolinha de guloseimas” de novo (nada contra, viu gente!?).

Queria algo bacana e útil, que as crianças pudessem levar para vários lugares e se divertir com sua lembrança do aniversário do Rafa e da Bia. Foi aí que escolhi presentear nossos convidados mirins com um estojo artesanal, feito pela Cinara Moura, da Fiel Art’s, porque achei lindo e útil, principalmente para a idade média dos convidados (4 anos).

O trabalho da Cinara ficou tão lindo que me encantou e #euindico:




As crianças curtiram de montão seus estojos e eu me senti feliz pela escolha. E aqui entra minha segunda reflexão: até que ponto elevamos o item “lembrancinha para convidados” ao extremo?

Por vezes vemos depoimentos lindos na internet, em especial nas redes sociais, de mães realizadas com as festas de seus filhos e que gastam pequenas fortunas com esses eventos sociais. Já li casos de mães que se dispuseram pagar algo em torno de R$ 30,00 para cada item que seria oferecido como lembrança da festa. Nada contra, de verdade. Penso que se a pessoa paga X ou Y ela o faz de acordo com suas possibilidades – e assim espero mesmo.
 
Mas, cá pra nós, qual é o “barato” da festa? Não é a celebração da vida? Não é o estar junto de pessoas queridas para comemorar? Não é a recordação dos momentos alegres que a gente vive com as pessoas que nos são especiais?

Então, por aqui, lembrancinha é um item do “enxoval” sim, mas não é o item principal e, como tal, não pode se sobrepor ao conjunto da obra. Escolho com alegria e amor, mas com limites, porque o que importa mesmo é se juntar e festejar, mesmo que não tenha um saquinho ou caixinha ou estojinho pra levar pra casa, né minha gente!?

#ficaadica


Abraços,
Carol Braz, mãe do Rafael e da Beatriz

17 de abril de 2015

Gramado e Canela com criança – SNOWLAND


Snowland é um parque de neve artificial cheio de atrações e que merece um post só pra ele. Tínhamos programado apenas um dia para o parque, mas gostamos tanto que acabamos repetindo a visita.
 
Foi nossa primeira vez na “neve”.

O parque oferece estrutura para passar várias horas lá dentro. Tem restaurante, lanchonete, pista de patinação, montanha de neve e lojinhas diversas.

Nosso primeiro dia no parque foi numa segunda-feira, chegamos por volta das 9h da manhã e já tinha uma fila considerável para compra de ingressos. Como compramos com antecedência pela internet (recomendo!), pegamos uma fila menor para o cadastro e obtenção das pulseiras que servem como cartão de crédito e passaporte para acessar as atrações.

Em abril de 2014 pagamos R$ 79, 00 no ingresso de adulto e R$ 59,00 no de criança. Os equipamentos e as aulas de esqui e snowboard são cobrados separadamente. 

Assim que entramos fomos direto agendar a aula de snowboard para o marido. Eu queria muito ter feito a aula de esqui, mas a logística ficaria complicada já que meu pequeno não poderia ficar nessa área  da montanha (somente crianças acima de 6 anos).

Para esquiar ou fazer snowboard as aulas devem ser marcada assim que entrar no parque, pois a quantidade de inscrição é limitada por causa da disponibilidade dos  professores. Também é possível só alugar o equipamento e ir direto se aventurar ladeira abaixo, o que eu não recomendo no caso de nunca ter feito isso antes na vida. 
Pista para maiores de 6 anos, Gabriel foi só "experimentar".
Esteira pra facilitar a subida com os equipamentos.
Acabei ficando com Gabriel na área do play infantil e foi muito legal! Brincamos no castelinho e no espaço que fica em volta. Foi um festival de sobe e desce para escorregar no tobogã de neve.

O contato com a neve é muito grande, então vista a roupa com calma pra não deixar brechas pro gelo entrar. E quando o frio apertar, tem um quiosque do ladinho do castelo que serve um chocolate quente que é tudo de bom!
 
Uhuuuu!
"Pinto no lixo"

Cachecol da mamãe quebrou um galho.

Passeamos também numa espécie de caverna cheia de labirintos e réplicas de animais glaciais como pinguins e ursos polares. Achei bem legal, mas não sei se essa caverna ainda está funcionando, pois meu irmão esteve lá no final do ano passado e disse que não viu essa atração.


Aprendendo um pouquinho.
Atrás do castelinho tem uma área para adulto escorregar com boias, então a mamãe aqui, mesmo não podendo esquiar, conseguiu aproveitar bastante. A desvantagem desse espaço é que não tem esteira, e cada um sobe com sua boia ou prancha. Cansei rapidinho.
O pontinho laranja dando tchau sou eu, rs.
Na primeira ida, numa segunda-feira, o tempo de montanha estava livre, mas na segunda vez, que foi numa quinta-feira, havia a limitação de permanência de 2 horas, e no caso de ultrapassar este tempo os minutos excedentes são cobrados no momento da saída. Esse tempo limitado é só para montanha! No restante do parque o tempo é livre. Aproveitamos para passear no complexo, comprar guloseimas e visitar a lojinha de souvenirs. Gabriel adorou tudo, claro!
Do lado de fora da montanha.
Para alegria da criançada, o mascote do parque.
Minhas observações: Vá primeiro para montanha e deixe os passeios no restante do parque e a patinação para o final.

O restaurante tem preços razoáveis, então não acho que compense ir até Gramado só para almoçar e voltar. E o espaço é muito agradável.

Dentro do restaurante tem uma brinquedoteca com monitores, e na área ao lado, onde funciona um café, tinha brinquedos infláveis e cama elástica. Essa área toda é uma delícia, mesmo que seja só pra tomar um cappuccino ou apreciar a vista.

Almoço primeiro dia.
Almoço segundo dia. E tem menu kids!
 
Curtindo a vista e rindo dos tombos do papai

Brinquedoteca com monitores no interior no restaurante.
Para aproveitar melhor: Chegue cedo e vá para a montanha. Pegar as roupas e botas secas é fundamental. Notei que quem chegava após o almoço recebia botas já usadas no dia, ou seja, bem molhadas por fora. As opções de tamanhos de roupas e capacetes também acabam diminuindo se for dia de parque cheio. 

Capriche nas meias! Se puder compre meias apropriadas, se não der leve meias extars. Na primeiro vez sofri bastante com os pés gelados, mas na segunda adotei uma técnica que vi algumas pessoas utilizando: meia + saco plástico + meia. Pois é, estranho, mas foi ótimo. Garantiu pés quentinhos e sequinhos durante horas.

Luvas impermeáveis também são bem vindas. Quando fomos (abril/2014) o parque oferecia luvas de tecido (um tipo de feltro grosso), mas elas não seguravam o frio e a umidade. Como Gabriel deitou e rolou, literalmente, nos dois dias que fomos precisei voltar no balcão de roupas e pedir luvas extras para ele.
Momento encharcando as luvas.
Foi a primeira coisa que ele fez assim que entrou, deitou e rolou, literalmente.
O ingresso dá direito a 30 minutos de patinação na pista de gelo. Eu até tentei mas foi por pouco tempo, achei muito difícil e fiquei com medo de me machucar (vimos um rapaz sair de ambulância, pelo que vi ele fraturou o pé. Ui!). Para quem deseja patinar aconselho deixar para depois da montanha, pois a pista estará mais vazia.
 
Ai que medo de cair. Dei só uma volta na pista segurando nas bordas.
Andei olhando o site do parque e notei que tem novidades por lá: Bumper Car, um tipo de carrinho bate-bate que deve ser bem legal; Expedição de Motoneve, um passeio numa espécie de jet ski de neve; e Flokus: em busca da neve, um show temático que acontece várias vezes durante o dia.
 
Foi um passeio que agradou a família toda e pretendemos fazer novamente quando Gabriel tiver idade para acessar a montanha.
Recomendo!

Mais informações: http://www.snowland.com.br/


Abraço, 
Andréa, mãe do Gabriel

15 de abril de 2015

Resultado do sorteio - 4 laços da Laçarolando!

Atenção, atenção! Já temos uma ganhadora para os 4 laços tamanho G da Laçarolando!


E a sortuda é...... Daniella Lopes!

Parabéns!!! Verifique seu e-mail e siga as instruções para retirada do lindo prêmio.


* Informamos que todas as inscrições foram verificadas, mas uma foi invalidada por não cumprir integralmente as regras do sorteio.

13 de abril de 2015

Carros e Moranguinho numa só festa. Veja o resultado e inspire-se!


Este post nasceu há bastante tempo, quando comecei a me dedicar aos preparativos para o aniversário dos meus filhos. Muitas eram minhas incertezas diante de alguns pontos da celebração. A escolha dos temas, a lista de convidados, buffet e lembrancinhas contrastavam com o orçamento familiar apertado à época. E aí, minhas caras, a gente “tem que rebolar” para dar conta e garantir a celebração principalmente quando se decide celebrar a vida de dois filhos de idades (e sexos) diferentes como os meus, não é mesmo!?

Por aqui as escolhas giraram em torno de dois temas “básicos” (que de básicos no mercado de festas infantis de Brasília não tinham nada, a propósito): Carros, pro Rafael que estava completando 5 anos, e Moranguinho, para celebrar o primeiro aninho da Beatriz.

* Deixa eu esclarecer: são mesmo temas básicos, mas “fora de época”, por isso tivemos bastante dificuldade de encontrar vários itens que queríamos para a decoração. Graças à criatividade de pessoas fantásticas que me ajudaram desde o início a festa saiu com um toque especial de carinho, já que o envolvimento das famílias desde o planejamento até a execução foi o ingrediente principal. *

Fizemos uma festa simples e dupla. Optamos por uma festa no mesmo dia, hora e local, justamente porque nossa intenção maior era celebrar com nossa família e amigos mais íntimos, sem tanta preocupação com o horário de fim da festa ou entrega do salão, etc. Nossa escolha de local foi muito a cara dos pais: uma churrasqueira num clube bem conhecido e frequentado aqui de Brasília. 

A decoração das mesas ficou a cargo da vovó Anna, a artesã da família. Confiamos a ela, mais uma vez, a confecção dos painéis e das toalhas de mesa e, para nossa grata surpresa, ela superou todas as expectativas. Vejam por partes um pouquinho do que tivemos de especial para essa celebração:

* Painéis:

 

*Maquetes:



* Boneco de E.V.A e velas personalizadas:




* Scrap e brigadeiros gourmet:



* Animação:


Nossos convidados ficaram conosco na maior diversão por mais de quatro horas e a alegria foi total. Enquanto pais e mães conversavam tranquila e descontraidamente, as crianças se divertiam nos brinquedos (cama elástica e pula-pula inflável) e com a animação da turma da Palhaça Pipoca.

Como nesse universo toda indicação é bem-vinda, deixo aqui os contatos dos meus fornecedores pra vocês:

• Buffet: Sandra Bezerra (Sandra Festas e Eventos)
• Decoração: vovó Anna e família Gozzer de Macedo
• Maquete Moranguinho: vovó Anna
• Maquete Carros: Keli Santana
• Brigadeiros gourmet: Camila Brigadeiros Gourmet (Camila Viana)
• Scrap: Cerrado Encantado Arte em Papel (Renata Viana Mendonça)
• Lembrancinhas: Cinara Moura (Fiel Art's) - as lembrancinhas ganharão um post específico depois
• Boneco de E.V.A e velas personalizadas: CMK arte em E.V.A (Lidiane Souza)
• Animação: Palhaça Pipoca (Cristiani Magalhães)
• Mesas e cadeiras: Rafa e Bia Locações

E agora lá vou eu sentir novamente esse friozinho gostoso na barriga e pensar nos próximos aniversários por aqui...

Abraços,
 
Carol Braz (mãe do Rafael e da Beatriz)

10 de abril de 2015

Gramado e Canela com criança – Mini Mundo e Aldeia do Papai Noel


Era uma vez um pai e um avô, que resolveram presentear suas duas crianças com um pequeno mundo de fantasia. Atendendo ao pedido dos pequenos, construíram uma casinha de bonecas e um conjunto de castelos, com trenzinhos em miniatura, no jardim em frente ao hotel Ritta Höppner, pertencente à família. Pensando em dividi-lo com os hóspedes, quando as crianças crescessem, construíram também uma pequena cidade em miniatura, ao ar livre, envolvendo os seus próprios sonhos, e dando vida aos mini-habitantes, que aos poucos foram surgindo. Recriando cenários do cotidiano, em sua maioria europeus e brasileiros, o Mini Mundo continua a crescer, sempre na procura de manter vivas a fantasia e a alegria da infância que existe dentro de todos nós. (fonte:www.minimundo.com.br/minimundo/)

O Mini Mundo é uma atração paga e quando fomos os ingressos custaram R$20,00 para adulto e R$12,00 criança. O parque é uma exposição ao ar livre com réplicas minúsculas de diversas construções do mundo, feitas numa escala 24 vezes menor que o tamanho natural.

Olha a proporção do "moço" que fazia a manutenção.
Fomos pela manhã e em poucas horas deu pra conhecer tudo. Lá tem lanchonete, loja de lembrancinhas e um parquinho pros pequenos. Também notei que há rampas que dão acesso às réplicas, uma facilidade para quem está com carrinhos de bebê ou tem dificuldade de locomoção.





É tudo um primor. Impossível não se encantar com tantos detalhes das miniaturas. Há iluminação nos prédios, sons no aeroporto, locomotivas se movimentando, barcos navegando, e um monte de visitantes admirando tudo. Mas são as réplicas de castelos que predominam por lá, e um em especial chama a atenção: o castelo de Neuschwanstein. Ele é simplesmente lindo de viver. Impossível não desejar fazer a rota romântica na Alemanha para ver essa construção magnífica em tamanho real. Diz a lenda que o castelo do Magic Kingdon foi inspirado nele.

Lááá atras, o castelo de Neuschwanstein.
Perfeição em cada detalhe.
Próximo ao parquinho das crianças tem um mural muito legal que conta a cronologia da criação do parque em fotos. Muito bacana ver como tudo começou.

Notamos que a equipe que trabalha no local tem muito orgulho de fazer parte deste Mini Mundo.Todos muitos gentis e preocupados em fazer do passeio um momento agradável e divertido.












Curiosidades também não faltam. Uma delas é que todo ano, do dia 12 de outubro, é lançado um livro da coleção Histórias do Mini Mundo. Ah, e tem uma lenda alemã que diz que quem conseguir ver um limpador de chaminé terá sorte pra sempre. Claro que eu procurei né, rs. E achei! Mas não foi nas réplicas, foi o Guia do parque, um simpático personagem que nos acompanhou durante uma parte do passeio.
 
Apreciando a arte.
Réplica do Museu do Ipiranga. Perfeito!

                                                          Igreja São Francisco de Ouro Preto


Se estiver em Gramado, com ou sem criança, vale a visita!

ALDEIA DO PAPAI NOEL

Deixando uma cartinha
Único parque natalino do Brasil que fica aberto para visitação o ano todo!
Passamos algumas horas de uma tarde lá. Pretendíamos ficar até a noite pois dizem  que a iluminação é muito bonita, mas o cansaço bateu e o frio apertou.
A área é imensa e proporciona uma boa caminhada. Calçados confortáveis são essenciais para aproveitar o passeio. Se cansar, existe um trenzinho que fica circulando (o bilhete do trem não está incluso no ingresso de entrada). Caminhamos o parque todo e depois demos uma volta de trenzinho também.

Passeio de trenzinho.


Como era mês de abril a decoração, além da natalina, estava com tema de Páscoa também.
Achei o parque bem vazio, mesmo para um feriado. Estava bom para conhecer, sem filas ou tumulto, mas acho que faltou uma certa alegria no local, daquelas que só é possível quando tem um monte de criança  gargalhando. Ou seja, entre os meses de novembro e janeiro deve ser mais animado.


Um labirinto com ovos e chocolates de mentirinha espalhados pelas trilhas.

O parque tem um monorail mas nós nos esquecemos dele. Pois é, entramos no parque formos andando, andando, andando e só me lembrei quando estávamos de saída. Ficará para uma próxima visita, junto com o trenó voador, que vi no site que é mais uma novidade que tem por lá.
 
A casa do Papai Noel é uma graça. Grande e cheia de mimos temáticos que alegram e impressionam. A música, a decoração, o Papai Noel...Se bem que sou suspeita para falar disso. Adoro esse clima natalino.
Gabriel adorou as renas. Tinha um filhote muito fofo que arrebatou a atenção dele. Não queria sair de perto do bichinho. Não chegamos a tempo de ver a alimentação, mas estavam acordadas e serelepes.


Banheiro do Papai Noel.



Como nem tudo são flores, e mesmo com jardins lindos, não gostei de algumas áreas fechadas do parque. Parecia faltar manutenção e até mesmo limpeza. A Fábrica de Brinquedos e o Alojamento estavam extremamente empoeirados. Fiquei com uma impressão bem negativa, pois é um local de constante visitação e parecia que não era limpo há bastante tempo. Espero que tenha sido algo pontual.




De qualquer forma recomendo a visita. O oratório é um encanto, a vista do mirante é imperdível (bela vista para o Vale do Quilombo), a praça de neve é divertida, a sala de espelhos rende boas risadas, então, explore!

Mirante.

Praça de neve, ou melhor, espuma de sabão.
 


A entrada no parque também é paga, mas não me lembro quanto foi.
Mais informações:
http://www.papainoel.com/

Abraços, 
Andréa, mãe do Gabriel